DIVIDENDOS X CRESCIMENTO

estrategia-buy-and-hold-trading-capa

 

Existem várias formas de investimento fundamentalistas que são rentáveis no longo prazo. A principal fundamentação das estratégias parte de um pressuposto básico. Eu vou me tornar sócio de uma empresa. Parece simples, mas poucas pessoas entendem isso em sua essência.

A ação é a menor parte de uma empresa. Quando você compra uma ação, você passa a ganhar os lucros de uma petroleira sem saber furar poços de petróleo. Você ganha os lucros de uma varejista sem precisar saber vender ou produzir, ou importar produtos. Você ganha parte dos lucros dos bancos, sem precisar negociar com clientes ou sindicatos. Esta é a maravilha das ações. Você passa a deter parte de grandes empresas que crescem com o tempo. Eu mesmo comparo com árvores, em que você colhe os frutos e no ano que vem nascem novos frutos, e no ano seguinte novamente. Isso só para de acontecer caso você corte a árvore (venda a ação) ou caso algo externo caia sobre ela, um raio por exemplo (seria o caso da empresa gerar prejuízos, ou os planos de investimento da empresa falharem).
Estou falando isso, porque irei comparar duas estratégias hoje. Uma estratégia focada em pagamento de dividendos e outra estratégia focada em crescimento de lucros das empresas. Vamos ver qual se sai melhor no longo prazo. Que no fim das contas é o que interessa para gente.

Acho que vocês sabem que esse estudo com a quantidade de ações que eu irei fazer 118 empresas no total. Sendo todas do Ibovespa, todas do Indice de dividendos (IDIV) e todas do índice Small Caps(SMLL) só foi possível graças ao Stock Guide que eu resolvi assinar do Guiainvest Pro para melhorar a qualidade dos estudos que eu mostro para vocês. E que eu agradeço por eles me deixarem compartilhar os resultados. Para saber mais clique aqui.

O Estudo:

Depois de exportar para o excel uma planilha enorme com os lucros, os dividendos e os yields das 118 empresas para o período entre 2008 e 2016, cheguei aos seguintes valores. 20 das empresas ainda não tinham capital aberto em 31/12/2008, e portanto ficaram de fora do estudo. Sobraram 98 empresas.
Vamos começar falando sobre dividendos. Veja a tabela abaixo com as 11 melhores e observe as empresas que mais pagaram dividendos nos últimos 9 anos. Eu calculei frente ao preço atual, porque o preço de 2008, já estava ajustado pelos mesmos dividendos pagos. Isso significa que: Se a empresa voltar a pagar dividendos semelhantes nos próximos 9 anos, essa será sua renda recorrente. O que raramente ocorre. Dividendos passados não são garantias de dividendos futuros.

dividendos-crescimento-01

 

A partir dessa lista vemos algumas coisas interessantes. A primeira é que das 11 primeiras ações que mais pagaram dividendos no período frente ao valor atual nos últimos 9 anos são empresas prioritariamente de energia elétrica (5), construção civil/shopping (3), siderurgia (2) telecomunicaçãoes (1). Todos setores que estão em baixa na bolsa nos últimos anos.

A segunda coisa que me chama a atenção são alguns yields. Veja que Rossi Residencial, por exemplo, (Rsid3), vale hoje R$ 6,30, mas nos últimos 9 anos pagou mais de R$ 35,00 em dividendos. Incrível né? 569,38% de yield sobre o valor atual. Mas vejam agora a coluna de yield de 3 anos. A mesma Rsid3 não pagou dividendos neste período. Ela já está a 3 anos sem pagar dividendos. Por quê? A crise econômica fez o dinheiro da construção minguar. E a empresa passou a ter muito prejuízo. Existem outros exemplo na tabela. Empresas que pagavam muito no passado e que agora pagam pouco. (Eletropaulo, Eletrobrás, Gerdau Metalurgica e Light por exemplo).
Pra quem não sabe yields ou dividend yield é: dividendos pagos / preço da ação.
Veja agora o que ocorreu com o preço dessas mesmas empresas nos últimos 9 anos.

dividendos-crescimento-02

 

BR Properties e Taesa ainda não eram negociadas em 31/12/2008, portanto não existia preço de suas ações.
Esta foto me mostra que dividendos muito altos não são consistentes ao longo do tempo. Chega um momento que a empresa não pode distribuir tanto. Ela precisa reinvestir no negócio dela, para continuar gerando recursos e mais dividendos no futuro. As empresas da lista que resolveram distribuir muitos dividendos, por um período prolongado de tempo, tiveram crescimentos pífios nos preços das ações neste 9 anos. Lembrando que ao valor dos dividendos já foi descontado do preço das ações. Portanto não dá nem pra falar, que teve essa valorização mais os dividendos. Essa valorização ocorreu se a pessoa pegou todos os dividendos e reinvestiu na mesma empresa. Se a pessoa gastou provavelmente o preço inicial da ação que foi efetivamente pago em 31/12/2008 deve ter sido mais alto na maioria dos casos.

O único caso de ação com uma valorização superior ao CDI do período foi de Helbor (hbor3). A última da lista. Mesmo assim é uma ação que sofreu muito nos últimos dois anos. Eu lembro dela sendo negociada a mais de R$6,00 em 2015 e hoje está a R$ 2,53. Mesmo assim, se pegar o período completo desde 2008 de forma intocada ela ainda está com uma bela valorização.

Certamente Taesa estaria junto com Helbor nessa lista de exceções. Mas eu sabendo que as outras dez da lista caíram os dividendos, por que não imaginar que com Taesa acontecerá o mesmo? Isto responde “as pessoas que me perguntam porque eu estou em Alupar e não em Taesa.

Não acredito em empresas que pagam 100% dos lucros como dividendos em setores de alto investimento.

Olhando esse estudo, eu percebo que apenas dividendos altos não são garantia de ganhar altos retornos na Renda Variável, e a estratégia de procurar apenas os maiores yields pode ser muito ruim no longo prazo, rendendo inclusive menos que o CDI. Mas o fato de ver dinheiro pingando na conta sempre, nos faz acreditar que a estratégia apenas dessa forma é boa. Cuidado!!!
Nós então precisamos usar a estratégia dos dividendos combinada com alguma outra, ok?

O que importa não são os dividendos atuais, mas se a empresa vai ser capaz de continuar pagando dividendos cada vez maiores no longo prazo.

Pensando nisso, eu montei toda a minha estratégia e que já funciona há muito tempo em pensadores como Peter Lynch, Joel Greenblatt e outros adeptos do crescimento.
Vamos ver agora a tabela das empresas que mais cresceram lucros nos últimos 9 anos.

 

Elaborado pelo autor. Dados retirados do Guiainvest Pro

Prestem atenção que temos crescimentos enormes de lucros nos últimos 9 anos. 3 das 98 empresas tiveram lucros que cresceram inclusive mais de 1500%. Mas ao analisar essas empresas é importante olhar o crescimento em um tempo mais curto também. Vejam que Kroton, cresceu muito em 9 anos, mas manteve um ótimo crescimento de 2013 a 2016. Já JBS e Marfrig, segunda e terceiras da lista tiveram crescimentos expressivos de 2008 a 2013, mas tiveram quedas de lucros nos últimos 3 anos. De 2013 a 2016.

Outro fator importante que podemos ver nessa tabela é que das 11 empresas que mais tiveram crescimento de lucros nos últimos 9 anos, temos apenas uma, igual a da lista anterior que é Taesa. Temos apenas duas empresas do setor de “utilities” (utilidades obrigatórias, como saneamento, ou energia elétrica). Uma empresa do setor bancário Santander (sanb11). Duas empresas de alimentos e as outras voltadas para o comércio ou serviços interno.

Outro fator interessante a se observar é que várias dessas empresas ainda não tinham capital aberto e não eram cotadas em 31/12/2008. São empresas que começaram small caps e hoje atingiram um valor de mercado e um tamanho grande. Por isso, vocês veem na minha carteira um percentual considerável nesse tipo de empresa.
Das empresas que tiveram crescimentos grandes em 9 anos e mantiveram crescendo forte nos últimos 3 anos, reduzimos nossa lista para apenas: Kroton, Estacio, Raia Drogasil, Fleury e Sanepar. Santander e Ambev também tiveram aumento dos lucros no período, porém abaixo do CDI.
Abaixo vemos a valorização dessas empresas. E quero que deem atenção principalmente a essas cinco que mantiveram os crescimentos ao longo desse período todo, inclusive nos últimos três anos.

 

dividendos-crescimento-0

Elaborado pelo autor: Dados retirados do Guiainvest Pro

 

Incrível né? Kroton, Raia Drogasil e Fleury ainda nem existiam como empresas de capital aberto. Estacio que já existia teve um aumento expressivo de 441,95%, ou taxa anual de 20,66% ao ano no preço da ação (Bem maior que as taxas das empresas de altos dividendos). Sanepar teve um aumento de mais de 1100%. A própria Ambev que manteve aumento do lucro nos dois períodos, vemos que sua ação valorizou-se mais de 500%. Compare com a valorização das empresas que geraram maiores dividendos e veja você mesmo, onde está o dinheiro na bolsa.
Mesmo se você gosta de dividendos, veja como os dividendos dessas empresas cresceram ao longo do tempo. Vou pegar como exemplo apenas, os anos de 2008, 2011, 2014 e atual. E vejam como na maioria dos casos existe um crescimento muito grande dos proventos. Por isso eu fiz uma vez um vídeo que perguntava assim: Você precisa dos dividendos agora? Então por que não conseguir dividendos maiores no futuro? Clique aqui e assista o vídeo no youtube.

 

dividendos-crescimento-05

Elaborado pelo autor, usando o Guiainvest Pro.

No entanto, analisar o passado é muito fácil. Nós agora precisamos ver quais serão as empresas que crescerão dessa forma no futuro. Raia Drogasil, Kroton, Fleury, Ambev já valorizaram e já são case do passado. Elas podem até subir mais, mas serão valorizações menores. O negócio deles já maturou. Alguns mais outros menos.
Para tentar achar as empresas que poderão crescer no futuro, eu refinei a minha análise e estou pegando as empresas que mais cresceram seus lucros nos últimos 3 anos, apenas. Só peguei as empresas com crescimento de lucros acima de 50% (UM POUCO MAIS DE 14% AO ANO).

dividendos-crescimento-06

Elaborado pelo autor: Dados do Guiainvest Pro.

Olhem que das 22 empresas apenas duas tiveram perdas nestes 3 anos. Um resultado muito consistente. Das 22 ações, 13 ações tiveram crescimentos superiores a 100% dos lucros e 8 empresas se valorizaram mais que 100% em 3 anos.

Percebam que existem empresas de todos os tipos. Existem empresas como Equatorial que cresceu o lucro em 1012,02% sendo 190,93% em 9 anos e sua ação cresceu 165,67%. Em linha com o lucro de 9 anos, mas ainda devendo com o lucro de 3 anos. Temos empresas como Ser Educacional que o valor da ação só cresceu 9,62% enquanto o lucro cresceu 98,15%. E tem o oposto também. Uma empresa como Lojas Renner, que passou a ser reconhecida pela sua competência na gestão operacional, e mesmo o lucro tendo crescido “apenas” 53,78% em 3 anos, como é um movimento constante e contínuo, vemos que suas ações valorizaram mais de 159%. Esse tipo de empresa eu chamo carinhosamente de Queridinhas do Mercado. É uma espécie de loja que você paga um valor mais caro pela excelência dela da gestão. Eu evito compra-las, porque eu digo que elas já estão precificadas.

Conclusão:

Minha forma de investir passa por fazer análises criteriosas dos lucros passados das empresas e perceber quais podem continuar gerando esses lucros no longo prazo. O aumento de lucros é que irá gerar crescimentos expressivos na carteira. Também procuro empresas que estejam com atrasos em relação a valorização como mostrei aqui o caso de Ser Educacional, ou ainda de Sabesp que está ali em último nessa lista. Este atraso ou desconto como eu gosto de chamar, ajudará a empresa a ter uma valorização mais rápida e inclusive maior.

Uma observação que gostaria de fazer é que aqui eu apresentei análise quantitativa e que é a parte mais fácil da análise. Ver quanto a empresa cresceu o lucro e quanto o preço da ação subiu é a parte fácil. Depois de chegar a essa lista de 22 ações, eu teria que ver o RI das empresas (principalmente das que estão com desconto em relação ao crescimento dos lucros) para ver se esses lucros tiveram algum efeito não recorrente que tenha aumentado eles apenas nesse ano, ou que os tenha diminuído/aumentado em 2013, ano que eu tomei como base. Também precisaria analisar os investimentos da empresa para ver se eles fazem sentido no mundo e na economia que eu imagino no futuro. É um exercício subjetivo e que precisamos fazer para captar as melhores oportunidades. Certamente que em uma carteira, sempre teremos aquela empresas que erraremos. Aquela que a gestão não irá conseguir executar de forma apropriada o seu plano de investimentos e por isso precisamos fazer alguma diversificação. Mas não tão extensa a ponto de termos rentabilidade tão baixa como a do índice Bovespa. Sobre Diversificação e alocação de recursos, eu falei nesse artigo.
Abraços e Bons Negócios Até a próxima!
Daniel Nigri CNPI

  • Edson Coutinho

    Olá Daniel, você já leu o livro do Bazin? Ele comprava uma ação analisando os fundamentos mas o critério final era um DY de pelo menos 6%. E assim ia monitorando as métricas fundamentais mas, caso o DY baixasse e se mantivesse abaixo desses 6% por determinado tempo ele ia migrando para outra ação que atendesse ao requisito. Preço, descontos, etc… estavam nos seus critérios do dia a dia. Então acho que não é o caso de comprar pelo DY alto e sentar em cima da ação. Deve haver o timing da troca. Bem, ele ficou rico com essa estratégia. Achei interessante pois estudar estratégias é necessário para montar uma própria. Parabéns pelo estudo. Muito bom!

    • Daniel

      Vc acaba vendendo caro e comprando barato. Quando o yield cai é porque provavelmente a açao subiu muito.

  • Gilmar Passos

    Ótimo artigo Daniel, muito bom mesmo.Obg

  • Ciro Torquato

    Artigo esclarecedor, estou aprendendo muito com vc, Daniel.