DIVULGAÇÃO DO PIB E A BOLSA DE VALORES

capa-as-5-variaveis-mais-importantes-no-planejamento-financeiro

 

O próximo dia 07/Março/2017, é um dia que precisamos estar atentos. A princípio é um dia normal, no entanto neste dia o IBGE irá divulgar o PIB do quarto trimestre de 2016 e por consequência o PIB do ano de 2016. As expectativas não são nada animadoras. O Banco Central espera uma queda no quarto trimestre do PIB de 0,5%. E o mercado espera uma queda anual do PIB em torno de 3,5%. Chegaríamos assim na mais profunda retração que já tivemos desde o inicio da serie histórica.

Veja na foto abaixo que o Brasil já está há quase 10 trimestres seguidos com queda no PIB, comparado ao mesmo trimestre do ano anterior. Na foto abaixo percebemos que o PIB ajustado no primeiro trimestre de 2014 era de 311 bilhões já descontada a inflação desde 1996 e retirando a sazonalidade (não confundir com o PIB de Valores correntes) E alem disso, percebemos uma queda vertiginosa do PIB para apenas 285 bilhões de reais descontada a inflação de todo o período, o que significa uma queda de quase 10% real, e o que mostra que voltamos a ser uma economia do tamanho que éramos em 2011.

Foto retirada do site do IBGE

divulgacao-do-pib-e-a-bolsa-de-valores-01

Já mostrei em alguns vídeos que o PIB pode ser calculado de duas formas. Pela ótica da oferta de produtos, ou pela ótica da demanda de produtos. Pela ótica da oferta de produtos temos as seguintes medições: Setor agropecuário, setor industrial, setor de serviços e impostos líquidos sobre produtos. Na foto acima, a primeira coluna após as datas é a parcela do setor agropecuário no PIB, a segunda é a da industria, e a terceira é a do setor de serviços. A diferença entre a quarta e a quinta colunas são os impostos líquidos sobre produtos. A soma de todos esses setores dá o PIB em Valores Correntes pela ótica da oferta de produtos.

Pela ótica da demanda (procura) de produtos, os grandes grupos medidos são: Despesas da Família; Gastos do Governo, formação Bruta de Capital Fixo (que é o investimento das empresas), talvez seja o item que eu olho com maior interesse. Afinal, é a partir os investimentos que as empresas conseguem aumentar seus lucros, e assim valer mais na bolsa de valores. E o saldo da balança comercial (exportações menos importações) A soma desses termos devem dar um valor igual ao de cima. Já que os dois calculam o mesmo PIB.
Vamos ver na foto abaixo como variaram esses grupos nos últimos trimestres. Esta foto é um pouco diferente da anterior porque compara o trimestre atual com o trimestre imediatamente anterior. Retirada também do site do IBGE.

divulgacao-do-pib-e-a-bolsa-de-valores-02

Vemos nessa tabela acima que o Pib a preços de mercado caiu nos últimos 5 trimestres, mas que o tamanho da queda está se reduzindo. No ultimo trimestre foi queda de 0,8%. Este número foi divulgado em novembro. Vocês devem se lembrar que em Novembro e Dezembro a bolsa caiu muito, reflexo deste resultado bem pior que o esperado, percebam que a trajetória do PIB era de queda: -1,6% em 2015 3T. -1,1% 2015 4T, -0,5% 2016 1T, -0,4% 2016 2T. E então veio menos 0,8% e “atrapalhou” aquele cenário de redução da retração do PIB. O principal para a bolsa é que o PIB do quarto trimestre mostre que voltou ao cenário de redução da contração da economia, para uma futura expansão. Para a bolsa continuar a subir nos próximos meses, é fundamental, além do corte dos juros, e da inflação perto do centro da meta, a volta do crescimento da economia, que é calculada através do PIB.

A tabela acima também mostra que provavelmente os gastos do governo irão parar de puxar a economia, e esta irá depender cada vez mais de investimentos das empresas, consumo das famílias e do saldo da balança comercial. Tudo isso porque foi aprovada a PEC (Proposta de Emenda a Constituição) que limita os gastos públicos. Vejam que as despesas do consumo do Governo teve no 3T 2016 seu primeiro resultado negativo, destoando do restante da tabela que tem muitos dados negativos.
Pra quem se interessa em construção civil, percebam que a queda da construção no ano, é um dos piores números do PIB, mostrando que provavelmente o setor será um dos últimos a se recuperar, e por isso é um dos setores que possuem ações mais descontadas na bolsa.

Tudo isso é muito interessante, mas saberemos o PIB de outubro, novembro e dezembro do ano passado só agora em Março. Como podemos estimar qual será esse valor? Vejam que os dados de outubro, por exemplo, já vão estar defasados de quase 6 meses, quando o PIB for divulgado.

Para corrigir essa distorção e para ajudar a política de juros também, o Banco Central criou um indicador chamado IBC-Br que basicamente mede a tendência do PIB. Ele tem uma metodologia diferenciada, mas engloba os mesmos setores se utilizando dos dados da PNAD. Esse indicador é divulgado mensalmente e a partir dele podemos saber como a economia está indo.
Vejam na foto abaixo, como a contração da economia nos últimos meses do ano, foram as menores desde 2015.

O primeiro dado dessa foto é de junho de 2014 e o ultimo é o de dezembro de 2016. (A data 13 de fevereiro, que aparece na foto, foi a data de divulgação do resultado de dezembro de 2016).

Foto retirada desse link.

divulgacao-do-pib-e-a-bolsa-de-valores-03

Percebam que boa parte do ano de 2015 e inicio de 2016, só tivemos retrações na economia, e a partir do segundo semestre e mais notadamente neste último trimestre as retrações vieram menores, e tivemos um mês de alta como novembro.

Minha conclusão é a seguinte: Se o PIB vier pior que queda de 0,8%, ficará claro um sinal de nova piora da economia, e acreditaria na bolsa despencando. Embora este pra mim seja o cenário menos provável, pelo que o IBC-Br mostrou para nós com relação a economia nos meses de outubro a dezembro. Se o resultado vier entre queda de 0,8% e 0,5%, a bolsa não deve ter maiores oscilações, porque mostraria uma nova reversão de tendência, mas de forma muito tímida.

E finalmente se o resultado vier de queda de 0,4% ou melhor. Aí a bolsa deve subir muito, e a chance de queda dos juros em 1% irão aumentar. Agora cabe a nós aguardar, e quem opera opções se quiser fazer algum seguro contra um resultado ruim do PIB comprando puts pode valer a pena, embora seja o cenário menos provável. Assim como quem estiver vendido esperando um cenário ruim, se quiser comprar calls para se proteger, Vale a pena.

Abs a todos e bom final de semana
Daniel Nigri

  • Rodrigo Ribeiro

    Mais um excelente e esclarecedor artigo! Parabéns pela iniciativa, Daniel!
    Estou começando no mercado de ações e graças a pessoas como você tenho obtido ótimos resultados.
    Que continue com esse belo trabalho!
    Grande abraço.

  • sokapo

    Muito bom Daniel, descobri recentemente o Vlog e agora página. Obrigado por compartilhar.

    • Daniel

      o que é Vlog? desculpe a ignorancia

  • iamdix

    Bem esclarecedor!

  • Gilmar Passos

    Ótimo artigo Daniel, obrigado!

  • Marcelo Ricardo De Aguiar

    resultado, o PIB veio mais alto. são essas peças que o FOCUS nos presenteia. ele diz uma coisa e o IBGE revela outra.