PROTEGENDO A CARTEIRA COM OPÇÕES DE VENDA

tesouro-ipca-melhor-titulo-tesouro-direto

O Mês de Março acabou. Neste mês recebi muitos emails de pessoas desesperadas porque compraram a bolsa em um patamar de 69000 pontos e a bolsa chegou a cair a 63000 pontos, em uma queda de quase 10%. Hoje irei mostrar um exemplo prático de como uma pessoa poderia ter protegido a sua carteira.

O objetivo deste artigo é mostrar a importância de proteger a carteira e demonstrar que mesmo na queda podemos ganhar dinheiro na bolsa, ou pelo menos perder bem menos que o índice Ibovespa. Para começar, irei utilizar dados do mês passado da bolsa e das ações de Vale5 e Petr4. Obviamente que analisar os dados depois que acontecem é muito fácil. É importante ter a noção dessa necessidade prevendo o futuro, o que é muito mais difícil. Vamos ver os valores exatos de cada um dos índices e ações que iremos trabalhar, na tabela abaixo elaborada por mim.

 

protegendo-carteira-com-opcoes-01

Elaborada pelo autor com dados retirados desse link.

 

Como podemos perceber, um investidor que tinha uma carteira com metade dos recursos em Vale5 e a outra metade em Petr4, perdeu 50% x -17,61% + 50% x -8,98% = -13,29%. Isto mesmo gente, esse investidor perdeu 13,29% em 40 dias de aplicação. Esse montante só pra efeito de comparação demoraria mais de 1 ano para ser alcançado na Renda Fixa. Isto significa que se o investidor após estes 40 dias de bolsa, ficasse desolado e resolvesse vender tudo no prejuízo, pra recuperar na Renda Fixa ele demoraria mais de 1 ano!!!

No entanto, estes movimentos de alta e de queda são normais na bolsa de Valores. As ações sobem e caem todos os dias, e muitas vezes até sem motivo aparente. Por isso, que chamamos de Renda Variável. Quem não aguenta essas oscilações recomendo fortemente que seja um investidor apenas de Renda Fixa.

Mas, o que podemos fazer para nos proteger dessas quedas repentinas?

Vamos olhar a tabela abaixo de duas opções de venda (put) dos ativos Vale5 e Petr4.

 

protegendo-carteira-com-opcoes-02Elaborado pelo autor utilizando os dados desse link.

Percebam que as puts (opções de venda) se valorizaram neste mesmo período, muito mais do que as próprias ações. Tendo um caso de uma opção de venda que valorizou mais de 200% nesse período. Outro ponto importante de se mencionar é que as puts de Vale5 se valorizaram mais que as puts de petr4. Isso ocorreu, porque as ações de Vale5 cairam mais que as ações de petr4 no período. Assim, podemos dizer que quanto mais a ação se desvaloriza, mais as opções de venda se valorizam, o que protege a carteira. Enquanto petr4, se desvalorizou 8,98% no período, Vale5 se desvalorizou mais de 17%.

Mas vamos agora entender essa estratégia. Vamos imaginar que você tenha comprado ações da Vale5, no dia 20/02/2017, mas devido a grande valorização recente dos ativos, você ficou com medo de ficar na posição comprada sem nenhuma proteção. Então você preferiu comprar a mesma quantidade de puts, para fazer hedge da carteira (proteção).

 

Para facilitar vamos, imaginar que você tenha comprado 1000 ações Vale5 em 20/02/2017 por R$ 34,24 e gastou com isso R$ 34240,00. No mesmo momento você comprou 1000 opções de venda Valep33 com strike R$33,36 por R$ 1,97, gastando mais R$ 1970,00. Isso significa que Você gastou no total, R$ 34240,00 + 1970,00 = 36210,00. Esta opção de Venda, lhe dá o direito de vender as ações de Vale5 por R$ 33,36 na terceira segunda feira de abril, dia 17/04/2017. Portanto, o seu prejuízo Maximo seria R$36210,00 – R$ 33360,00 = R$ 2850,00. Se você preferisse se desfazer hoje dessa posição, você poderia vender as 1000 opções por R$ 4,75 cada, ou 4750,00 no total, além de vender as 1000 ações de Vale no valor de R$ 28,21 cada, totalizando R$ 28210,00. Você receberá no total (venda de ações + opções para desmontar as posições), o valor de R$ 32960,00. Tendo um prejuízo de R$ 36210 -32960 = R$ 3250,00.  Um valor menor que o de exercício, logo vale a pena segurar até o dia 17/04/2017.

Agora vamos imaginar, que você preferiu comprar as ações e não se proteger. Então você comprou 1000 ações por R$ 34,24 e gastou no total R$ 34240,00. Se você resolvesse desmontar hoje a posição que você tem, da mesma forma que você desmontou no exemplo acima com as opções, você venderia e receberia R$ 28,21 x 1000 = R$ 28210,00 e teria um prejuízo de R$ 6030,00. Percebam que o prejuízo é o dobro do anterior com proteção!!!

Vejam que com essa proteção, a sua perda está limitada a no máximo R$ 2850,00, mas se a ação fosse pra R$ 40,00 ou R$ 50,00, você continuaria ganhando sempre. Por isso, dizemos que ela nos apresenta o melhor dos mundos. Perdas limitadas com ganhos potenciais infinitos. Vejam o gráfico abaixo, das possibilidades de lucros e prejuízos da estratégia montada neste exemplo. Com 1000 ações de Vale5 compradas em 20/02/2017 a R$ 34,24 e com 1000 opções de venda compradas no mesmo dia por R$ 1,97.

 

protegendo-carteira-com-opcoes-03Elaborado pelo autor

 

Como podemos ver, com essa estratégia podemos fazer um ótimo gerenciamento de risco, porque podemos escolher o montante máximo que estamos dispostos a perder com uma determinada estratégia, sem que precisemos para isso vender a ação. Temos até o vencimento para nos decidir.

 

Vamos agora falar da parte ruim da estratégia

Como vocês podem perceber no gráfico acima, a ação foi comprada no R$ 34,24. Se o investidor não tivesse comprado a opção, quando a ação estivesse no R$ 34,25 ele já teria algum lucro. Se você incluir o custo da opção, como está incluído no gráfico acima, o lucro só começa a vir quando a ação passa de 36,21. Portanto, essa estratégia não deve ser usada sempre. Os valores gastos com muita proteção, podem acabar com a sua possibilidade de lucro em um ano. Muito cuidado com o excesso de proteção.

A segunda ressalva, é que o mercado de opções, principalmente o de puts (opções de venda) é muito ilíquido no Brasil. O ideal seria comprar uma opção de venda pra dezembro, por exemplo e ficar despreocupado até o fim do ano. No entanto, dificilmente você consegue ofertas para um prazo tão distante. Assim, para montar esta estratégia no Brasil, você acaba gastando o triplo, porque você precisaria agora comprar uma put pra Junho, depois uma put, por exemplo, pra Setembro e por fim uma put pra dezembro. Esses 3 seguros somados, podem tirar a maior parte da sua rentabilidade. Então eu costumo me utilizar desta estratégia apenas depois de um período forte de alta de uma determinada ação.

A terceira ressalva, é que eu não recomendo pra pessoas que tenham carteira menor que R$50000 reais. Vejam que uma queda de 20% em uma carteira de R$ 50000,00 são R$10000,00 que, obviamente é algo custoso pra se recuperar, mas que é plausível de trazer de volta com um esforço de 10 aportes de 1000,00 reais. Agora imagine pra uma pessoa que tenha uma carteira de 1 milhão de reais. Uma queda de 20% são 200 mil reais, ou seja, um apartamento. Seria uma situação que o psicológico da pessoa poderia começar a trabalhar contra ela, nas próximas operações. Além disso aportar 200 mil reais pra recuperar essa perda não é simples. Neste caso a pessoa precisa pensar em proteção de uma forma mais recorrente.

Agora, pra concluir, ressalto que esta estratégia apresentada não é minha. Ela se chama Barbell Strategy e é muito utilizada por grandes investidores. Quem se interessou, vale a pena ir ao Google e pesquisar mais sobre ela.

Espero que vocês tenham gostado deste artigo e tenham percebido a importância de proteger a carteira e principalmente de aprender cada vez mais sobre opções. Espero também que vocês comecem a perceber que opções são segurança e não especulação como muitos falam.

Abs e Bons Negócios

 

Daniel Nigri   CNPI