O que Bitcoin e Ações têm em comum?

ações-bitcoin-capa

O QUE BITCOIN E AÇÕES TEM EM COMUM?

 

Acho que não é novidade para ninguém que eu sei nada ou quase nada sobre Criptomoedas ou a mais conhecida delas o Bitcoin. Os meus medos em relação às criptomoedas já foram expostos em um vídeo há alguns meses atrás no meu canal do youtube, clique aqui.

Mas existe uma coisa, que modéstia a parte, eu sei muito bem. Gerenciar riscos de ativos. Então, embora eu acredite que o bitcoin tem tudo para explodir como a bolha das tulipas no século XVII clique aqui ou a bolha das pontocom mais recentemente no ano 2000, clique aqui, caso essa bolha demore a explodir teríamos tempo suficiente para realizar um belo retorno.

Quem assina a área de membros, sabe que eu separo uma parte da carteira especialmente para ações desacreditadas, mas que já começaram a provar que podem se recuperar. Normalmente essas são as que mais se valorizam, ou as que mais desvalorizam. O importante é saber que nessas ações o dinheiro alocado deve ser entre 1% e 3% do seu capital. Ações com muito risco e que ainda estão piorando os seus resultados devemos entrar até com menos de 1%, para poder fazer preço médio em compras. Enfim, é uma estratégia de longo prazo que costuma dar muito certo. Já tem ação que rendeu em 9 meses 120%, 70% e 45%.

Se quiser conhecer mais sobre a área de Membros clique aqui.

 

Mas qual a similaridade dessas ações com o bitcoin?

O bitcoin, assim como as outras criptomoedas são, na realidade tentativas de ruptura com a realidade que conhecemos. Assim como ocorreu com o dinheiro substituindo o escambo, o cheque substituindo o dinheiro, o cartão substituindo o cheque, agora surgem as moedas digitais. Mas, pela primeira vez, essa mudança não vem de cima pra baixo. Ou seja, não são os governos, a partir de seus bancos centrais que promovem a mudança e sim a própria população a partir de um modelo descentralizado.

 

Para uma moeda, ser considerada moeda ela precisa desempenhar três funções principais.

  • Função de Troca – Um indivíduo vai vender seu produto e receberá moeda em troca para comprar aquilo que desejar. Dizemos assim que a moeda é um intermediário entre as mercadorias.
  • Denominador comum de Valor – A moeda é um referencial das trocas. O instrumento pelo qual as mercadorias se balizam. Ela acaba fornecendo um padrão. Por exemplo: Se um quilo de arroz custa R$ 3,00 e um quilo de feijão custa R$ 6,00, você intuitivamente sabe que com dois quilos de arroz você compra um quilo de feijão. A moeda serve como referencial.
  • Moeda como reserva de Valor – Ou seja, o valor dela se mantém no tempo, mantendo o poder de compra intacto.

Essa é a primeira aula de qualquer curso de economia.

 

Aí eu pergunto:

Vocês visualizam essas 3 características com o bitcoin?

Eu ainda não vejo.

Então qualquer estratégia nela será de alto risco e deve ser compreendida como uma ação que está realizando um turn around e que traz alto risco em grandes alocações de capital. Lembrando que para esse tipo de estratégia realizar preço médio é fundamental.

A Minha Estratégia em Bitcoins para não perder uma possível alta muito grande (e só dará certo se o Bitcoin subir muito).

 

1 – Separar 1% do seu capital para investir em Bitcoins ou outras criptomoedas. Provavelmente o bitcoin, pela valorização recente é a moeda que terá o potencial de crescimento menor. O que não quer dizer que será pequeno.

2 – Dividir 1% em 10 partes. Isso mesmo, você investirá de 0,1% em 0,1%. Vamos aproveitar que um bitcoin pode ser dividido em frações bem pequenas e vamos fazer compras mínimas.

3 – Faça a primeira compra de 0,1% em qualquer valor.

4 – Compre as próximas partes sempre que o bitcoin cair mais de 20%.

 

Obs: Não importa qual foi o seu preço de compra anterior, o que importa é que ele valia x e agora vale 0,80x.

 

Para ficar mais fácil olhe o gráfico abaixo:

ações-e-bitcoin-01

 

Nos últimos 45 dias já deram duas compras. A segunda seta foi uma queda de 18%.

5 – Quando o bitcoin chegar a 3% do seu capital retire a metade (1,5%)  com um bom lucro (50%) e o restante (outros 1,5%) deixa pra ver o que acontece.

Conclusão

Existem analistas que entendem de bitcoin muito mais que eu , como o dessa matéria, clique aqui que acredita que em 3 ou 4 anos, a moeda virtual poderia chegar a U$ 100 mil.

Supondo que você siga a risca a estratégia e consiga montar a estratégia com preço médio de 15 mil a 20 mil dólares nos próximos meses, mesmo retirando metade quando o bitcoin alcançar 3% do seu capital você pode ganhar 3,5x ou 4x no período citado. Isto é o mesmo que 36,78% ao ano em 4 anos.

Outro aspecto importante de se citar aqui e que tem muita similaridade com a minha estratégia em ações turn around é a assimetria. Possibilidade de altos retornos, maiores inclusive que 100% e perda máxima limitada a 100%. É muito interessante quando estamos diante de oportunidades como esta.

Antes de terminar, volto a frisar, que eu realmente acredito que um dia irá explodir a bolha das criptomoedas. No entanto, estamos aguardando estourar a bolha de liquidez mundial há pelo menos 5 anos, principalmente na China, e ela não explode. Não adianta ficar parado esperando.

Quem sabe não nos surpreendemos e no período de crise a criptomoeda mostre que ela é realmente uma reserva de valor como o ouro. Ainda não existe histórico de crises com o bitcoin.

Gerencie sempre o risco e esteja ciente que você pode perder 100% do valor investido em criptomoeda. Dessa foram pode começar.

Antes de terminar, gostaria de lembrar a vocês que as opções de ações são outra forma de rentabilizar a carteira. Teve opção de Embraer que subiu mais de 2000% na quinta feira. Dificilmente você pegará uma oportunidade dessas, mas tem como ganhar 10% a 20% em poucos dias. Veja o artigo que eu escrevi recentemente. Clique aqui e aproveite a promoção de Natal do Curso de opções, clique aqui, preço promocional até 25/12/2017.

 

Abraços e Bons Investimentos

Daniel Nigri  analista CNPI.

 

 

 

 

 

  • Guilherme Gontijo

    Artigo genial, Daniel. Parabéns.