Aliar análise fundamentalista e técnica funciona?

0
28

Saiba por que a união das estratégias pode potencializar sua carteira

Quantas vezes você já ouviu que investidores escolhem a escola fundamentalista ou técnica em suas operações? Ou ainda, que as escolas são antagônicas, que você precisa determinar seu perfil de investidor e assim escolher uma das estratégias para definir qual será o racional dos seus investimentos?

Em um racional de carteira de investimentos sempre almejamos ter boas empresas, com resultados operacionais crescentes e que no longo prazo sejam rentáveis pela valorização de mercado ou também atrativas a partir da distribuição de proventos. Neste racional, realizamos aportes mensais nas empresas que planejamos, mas sabemos que nem sempre o volume financeiro do aporte será suficiente para distribuição em todos os ativos. Assim, podemos buscar estratégias para otimizar este aporte, dentre elas a análise de preços no mercado a partir da análise técnica. Aliando a escola fundamentalista com a análise técnica torna-se possível otimizar este financeiro e avaliar de forma global os ativos mais descontados no mercado no momento do aporte.  Com essa combinação de análises, conseguimos melhorar o momento de compra e de venda, otimizando a alocação de capital.

Um exemplo bastante prático: tenho a intenção de comprar 100 papéis de um ativo que custa R$10,00 totalizando um aporte de R$1.000,00. Se a partir da análise técnica observo que há uma tendência de queda de preços e posso aguardar esse movimento, as vezes em poucos dias, posso ter a oportunidade de comprar o mesmo ativo, porém em uma quantidade maior, por exemplo, 110 papéis. Olhando no curto prazo, isso parece muito pouco, não é mesmo? Mas imagine o quanto isso pode impactar em termos de quantidade de ativos em carteira e em recebimento de proventos ao longo dos anos.

Isso significa: mais papéis com o mesmo aporte = mais renda!

Outro ponto importante que gosto de destacar e que causa desconforto na hora de realizar o aporte: papel subiu muito recentemente, vale apena aportar agora? Aqui a união das duas escolas torna-se ainda mais evidente. Ao escolher um ativo para aporte consideramos se o preço de mercado está condizente com nossa projeção futura perante os resultados da empresa e nossas perspectivas do setor ao qual ela está inserida e se estamos próximos a uma data de distribuição de proventos. Considerando que todos estes fatores já estão planejados temos uma série de elementos da análise técnica que podem nos auxiliar na avaliação do preço de aporte, tendo como resultado a estratégia descrita anteriormente.

Em operações mais curtas, quase pejorativamente chamadas no mercado de “trades” também podemos nos beneficiar da combinação das estratégias. Prévias operacionais das empresas e crescimento setorial são exemplos de observações fundamentalistas que aliada aos sinais de compra gráfico podem trazer pontos interessantes de compras para posicionamento de curto prazo que podem auxiliar a potencializar nossos aportes em investimentos de longo prazo. Essa é a estratégia da Carteira Plena e quem tem trazido ótimos resultados para auxiliar no aumento dos aportes mensais.

Em um próximo artigo falaremos o que é e, principalmente, o que não é análise técnica para desmistificar alguns pré-conceitos que escutamos no mercado.

Até a próxima

Karol Weber

Analista CNPI-T 2413

Analise técnica e Analise Fundamentalista

O PODER DAS ESCOLAS TÉCNICA E FUNDAMENTALISTA AO SEU ALCANCE

Descubra o método para alavancar seus aportes mensais e antecipar sua aposentadoria em 10 ou 20 anos, acompanhando empresas com bons fundamentos e seus desempenhos gráficos.

Clique e veja os detalhes na Pagina da Carteira Plena