Carteira de Risco ou conservadora?

0
151
carteira-de-risco

Carteira de Risco ou conservadora?

Retorno e/ou Volatilidade (Preciso Escolher?)

Investimento não é sinônimo de corrida de 100m, não é quem chega primeiro ou quem perde a grande oportunidade.

É uma maratona.

É preciso estratégia, manter o ritmo nas retas e acelerar na descida para suprir a perda de velocidade na subida, além de ter sempre água pra manter o corpo hidratado.

Vemos no mercado muito frenesi, necessidade de fazer o que todos estão fazendo, afinal se todos estão fazendo provavelmente é o correto então vou fazer também.

Mas nem sempre é assim.

Manter seu foco e sua estratégia é essencial para não desviar o curso, para não perder o caminho que leva a linha de chegada principalmente em momentos de mudança de cenário, seja com perspectivas de grandes evoluções ou de pânico.

Hoje: tudo vai subir para sempre

Na recessão de 2015/2016: tudo iria cair para sempre.

Em 2008: não haverá amanhã

carteira-de-risco-1

 

Esse discurso ignora que mercados são dinâmicos e tem fases, onde o próprio equilíbrio gera desequilíbrio, pois é assim que se evitam as bolhas. Então antes de “surtar” imaginando que estás perdendo a oportunidade do milênio, tenham calma, verifique o mercado e monte sem pressa, sem histeria as operações da sua carteira.

Lembrem sempre que estamos falando de médio e longo prazo, então os investimentos estarão lá durante muito tempo, e terão sido expostos a outros ciclos, a outras fases.

Risco e Retorno

Existem riscos em qualquer investimento, são eles:

Volatilidade (risco inerente a renda variável): existem muitas formas de explicar a volatilidade, o risco de mercado, mas a mais simples ainda é – desvio-padrão do retorno do ativo, ou seja, quanto maior o movimento da ação maior será a volatilidade. E esse fator está relacionado ao volume negociado. O desvio padrão funciona como um indicador de variação, para mais ou para menos, e ele é a medida mais utilizada na estatística, isso porque considera a totalidade de valores da variável analisada (ativo), sendo que quanto maior o valor maior será também o grau de dispersão em relação a medida (média, mediana, moda).

Crédito: esse risco diz respeito ao não recebimento da remuneração ou do próprio valor que foi investido em um ativo financeiros, consideramos aqui ausência de pagamentos pontuais ou permanentes.

Liquidez: aqui o risco ocorre se existir necessidade de venda do ativo, fazendo por vezes que o investidor monte a operação de venda com um preço menor, o que gera perdas.

Aqui está a resposta para o título desse texto, o risco de mercado pode ser gerenciado com uma carteira equilibrada, isso porque a correlação entre ativos de maior e menor risco pode ser medida. Por exemplo, você pode ter em sua carteira ativos que possuem rentabilidade parecida, mas não possuem necessariamente a mesma volatilidade, ou seja, eles apresentam retornos iguais e riscos diferentes.

 

Quer ter acesso a nossas carteiras de Ações?

Insira o seu endereço de email abaixo para receber gratuitamente e conheça as carteiras da Área de Membros!

 

Por isso fazemos a correlação entre os ativos

E quanto mais correlação existir mais parecido será o movimento deles e o inverso é verdadeiro, lembrando que a correlação pode ser classificada de -1 até +1, então:

  • Próxima de 1 ou 1, os movimentos estão na mesma direção. Aqui dois ativos tem o mesmo comportamento, ambos possuem volatilidade (altas e quedas) nos mesmos momentos e em patamares parecidos.
  • Correlação de -1, indica a direção oposta do movimento dos ativos
  • Próxima de zero, neutro ou descorrelacionado.

Essas correlações são úteis em inúmeras análises, seja medindo comportamento da volatilidade das ações da Embraer com o movimento do dólar, ou então a relação entre preço do açúcar no mercado internacional e ativos do agronegócio, e assim por diante. Graficamente:

carteira-de-risco-2

 

Por esse motivo destacamos sempre a importância da diversificação, isso porque quando dois ativos ou dois tipos de investimento apresentam correlação negativa, com retorno parecidos, mas riscos distintos, o que ocorre é uma redução de risco com a união deles, ou seja, ocorre um desempenho mais eficiente de retorno com o ajuste da volatilidade.

Ao longo do tempo alguns ativos apresentam maior volatilidade e/ou maior risco, e mantendo ativos na carteira que apresentem rendimento com menor risco a tendência é de equilíbrio, mas é preciso também lembrar que alguns ativos de maior risco (volatilidade) podem apresentar grandes retornos quando ciclos se completam – caso da VALE3, ou de tantas outras empresas cíclicas, porém não é uma regra, afinal muitas dessas empresas acabam não recuperando a cotação durante anos, o que significa dinheiro parado e muitas vezes sem remuneração – caso da PETR4.

Obviamente existem mais variáveis a considerar, não apenas o ciclo, mas via de regra quanto mais negativa for a correlação entre duas variáveis maior será também o efeito da diversificação.

 

Risco pode ser gerenciado

Somos um país em desenvolvimento repleto de oportunidades de gerar riqueza, seja na renda fixa ou variável, mas isso só ocorre quando entendemos que não podemos fazer nada por impulso, nada baseado no achismo, na teoria da tia do WhatsApp. Maturidade significa estar consciente dos riscos e benefícios que o investimento pode proporcionar, e isso não acontece quando fazemos algo para não “perder o bonde”, ou quando compramos apenas por comprar, sem entender o que estamos fazendo.

Não é porque um grande número de pessoa acredita em algo, que aquilo se torna necessariamente uma verdade.

 

carteira-de-risco-3

 

Então foco! O mercado não vai desaparecer amanhã e às oportunidades sempre surgem, o mais importante é saber o que fazer quando elas aparecem e montar a carteira de maneira inteligente, com equilíbrio e estratégia.

É muito simples operar renda fixa ou renda variável observando o lado esquerdo do gráfico, frase clichê, mas muito verdadeira, então não tentem adivinhar que ativo/investimento deve vender / comprar, usem a lógica amparada pelas variáveis quantitativas e qualitativas de análise, e então vocês saberão o que fazer com base em lógica, dados e informações.

 

Concluindo

Pra quem já investe a algum tempo  é bem óbvio, para quem é iniciante é importante entender que o mercado é basicamente reação, e ele vai vender à você aquilo que a maioria das pessoas está sentindo naquele momento, com fundamento ou não, então respeite seu perfil para não  perder seu dinheiro.

O índice pode estar a 120 k daqui a alguns meses? Quem sabe?

Ou pode corrigir a 85k? Quem sabe?

Não temos nada concreto, ou seja, você apostaria seu dinheiro?

 

carteira-de-risco-4

 

Acredito que não, afinal investimento não é jogo ou fábrica de achismo, então gerenciar os riscos e manter uma carteira equilibrada é essencial, alguns ativos de crescimento correlacionados com moeda, commodities, ativos geradores de renda mais consolidados e com menor volatilidade, e isso vale para diversificação entre tipos de investimentos também, seja em Renda Fixa, Fundos Imobiliários, Fundos de Investimentos e Ações.

Informação é dinheiro.

Patrícia Rossari

 

Não deixe de acompanhar o trabalho do Dica de Hoje, também na Area de Assinantes, em https://areademembros.dicadehoje7.com O link com o melhor preço para assinatura anual está neste link, clique aqui