De Olho no Óleo – Panorama Semanal do setor de Petróleo e Gás Natural: 08/08

0
18

Panorama Semanal do setor de Petróleo e Gás natural (1 a 8 agosto/2020)

(Por: Leo Bittencourt)

– Petrobras aguarda aval para produzir diesel renovável:

No mês de julho, a Petrobras finalizou com sucesso os testes de processamento de diesel com óleo de soja refinado na refinaria Repar, no Paraná, onde a empresa coprocessou 2 milhões de litros do produto vegetal, que resultaram em cerca de 40 milhões de litros do produto com conteúdo renovável. A Petrobras aguarda uma consulta pública reaberta em meados deste mês pela reguladora do setor de combustíveis ANP, que pode reconhecer o combustível como elegível a participar das misturas no diesel. A audiência está agendada para o dia 17 de setembro. Caso tenha uma resposta positiva, a companhia pretende fazer novos investimentos no seu parque de refino.

Segundo a diretora de Refino e Gás Natural da companhia, Anelise Lara, o diesel renovável dá continuidade ao compromisso de redução de emissões de gases de efeito estufa pela Petrobras, além de melhorar a qualidade de combustão e desempenho ao motor, com uma maior estabilidade à oxidação e menor absorção de água. “Ao contrário do biodiesel, o diesel renovável não possui contaminantes, e isso é ambientalmente mais vantajoso, e atende limites de emissões veiculares que serão adotados a partir de 2022 e 2023“, comentou a diretora. (Fonte: Reuters)

– Refinarias da Petrobras atingem maior fator de utilização desde pandemia:

As refinarias da Petrobras atingiram no último domingo (2/agosto), o mais alto fator de utilização desde que o Ministério de Minas e Energia (MME) iniciou o acompanhamento do segmento por causa da pandemia de Covid-19, cujo impacto na economia chegou a reduzir a produção de derivados pela metade em abril. Segundo o boletim semanal do MME, o fator de utilização atingiu 80,2%. (Fonte: Estadão Conteúdo)

– Produção de petróleo da Rússia fica estável em julho, em linha com acordo da OPEP+:

O Ministério da Energia da Rússia, Alexander Novak, informou no último domingo que a produção de petróleo do país permaneceu inalterada em julho, em relação aos níveis observados em junho, em cumprimento ao acordo da Opep+. Segundo dados divulgados, a produção de óleo e gás condensado da Rússia subiu para 9,37 milhões de barris por dia (bpd) em julho, de 9,32 milhões em junho. O ministério acrescentou que o nível de cumprimento do acordo em julho foi próximo ao registrado em junho, quando ficou em 99%. Os cortes na produção de petróleo, acordados entre a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP) e outros grandes produtores, incluindo a Rússia, um grupo conhecido como OPEP+, deverão ser aliviados em agosto. (Eu explico a história da criação da OPEP e OPEP+ no livro Ouro Negro). (Fonte: Reuters)

– Iraque promete cortes adicionais na produção de petróleo em agosto e setembro:

O ministro do Petróleo do Iraque, Ihsan Abdul Jabbar, disse nesta sexta-feira que o país vai reduzir sua produção de petróleo em mais 400 mil barris por dia (bpd) nos meses de agosto e setembro além dos 850 mil barris por dia já acordados, como meio de compensação pelo excesso de bombeamento nos últimos três meses, com objetivo de cumprir as metas acertadas com a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP) e outros aliados (OPEP+). Dessa forma, a redução total de produção de petróleo no Iraque será de 1,25 milhão de bpd em cada um dos dois meses. Em julho, o país exportou 2,63 milhões de barris de petróleo por dia. (Fonte: Reuters)

– Enauta e Petrobras estão em fase final de aditivo contratual do campo de Manati:

O presidente da Enauta (código B3: ENAT3), Lincoln Guardado, disse que a companhia e a Petrobras estão em fase final de negociação sobre o aditivo contratual do campo de gás natural de Manati, na Bacia Camamu-Almada (na Bahia). Segundo ele, o acordo em negociação prevê que o volume não retirado nos meses em que a operação do campo foi interrompida possa ser retirado este ano ou em 2021. Em março, a Petrobras, operadora do campo, declarou motivo de força maior para interromper a produção do ativo e, consequentemente, suspender pagamentos mínimos estipulados na cláusula de “take-or-pay” (compromissos mínimos de compra de gás). O campo de Manati voltou a operar em maio e está sendo normalizado. Segundo a Enauta, a companhia recebeu os montantes relativos aos meses de abril e maio e o mês de junho foi faturado já com base na proposta do acordo. (Fonte: Valor)

– Estoques de Petróleo no EUA:

Na última quarta-feira (dia 5/agosto) foram divulgados os números dos estoques semanais de petróleo bruto dos EUA pela agência “Energy Information Administration (EIA)”. Na semana passada foi registrada uma queda nos estoques de -7,3 milhões de barris de petróleo bruto. Os analistas previam uma queda média de -3,0 milhões de barris. Na divulgação da semana anterior, as reservas já haviam caído -10,6 milhões de barris. A divulgação destes dados fez elevar os preços do petróleo no meio da semana (no mesmo dia 5), mas os preços mais altos não se sustentaram e perderam a força no decorrer da semana. A produção de petróleo dos EUA caiu ligeiramente para 11 milhões de barris por dia (mbd). As refinarias trabalhavam na semana com 79,6% da capacidade, pouco mais que na semana anterior (79,5%). (Fonte: AFP)

– Número de sondas americanas em atividades:

Ontem foi divulgado a contagem do número de sondas de perfuração em atividade nos EUA divulgado pela empresa de serviços de energia Baker Hughes. A contagem desta semana registrou um total de 176 sondas de perfuração em atividades, representando uma queda de 4 sondas em relação à semana passada, no menor nível desde julho de 2005. Chegamos a crer que 180 sondas poderia ser o “piso” para a queda da produção americana, mas esta semana caiu mais que esta faixa. Será que não chegamos ao fim das quedas? Vamos ficar de olho! (Fonte: EUA – Contagem de Sondas Baker Hughes – Investing.com)

– Panorama Semanal do preço do Barril do Petróleo:

Os contratos futuros do petróleo fecharam o pregão de sexta em baixa com o aumento da tensão entre os EUA e a China após o presidente americano, Donald Trump, assinar um decreto para banir dois aplicativos chineses (TikTok e WeChat) em 45 dias. Os contratos futuros do Brent para o mês de outubro caíram -0,95%, encerrando o dia negociados a US$ 44,66 o barril na Intercontinental Exchange (ICE), em Londres. Os preços do WTI para o mês de setembro caíram -0,93%, a US$ 41,56 o barril na Bolsa de Mercadorias de Nova York (Nymex). No acumulado semanal, a referência global Brent subiu 3,14% e a referência americana WTI subiu 3,20%. (Fonte: Investing.com)

Até a próxima semana!

Abraços

Leo Bittencourt

Você já conhece a nossa conheça a nossa nova ESTRATÉGIA XEQUE-MATE?

Clique aqui e descubra a estratégia que permite aos grandes investidores lucros até mesmo durante a pior das crises. Conheça os detalhes da metodologia Anti-crise, provada e comprovada do DIVIDENDOS 3X, que pode multiplicar os rendimentos das ações (Mesmo em um ano de fracos Dividendos!).

Você conhece os nossos planos de assinaturas?

Clique aqui e escolha um plano “Dica de Hoje” que que se adeque melhor a seu perfil!

Escolha um dos Planos “Dica de Hoje”:

– Plano “Ações – Dica de Hoje”: Plano mensal / Plano anual

– Plano “Combo Ações + FIIS – Dica de Hoje”: Plano mensal /  Plano anual

Você já adquiriu o nosso livro OURO NEGRO??

Clique aqui e tenha em mãos a incrível história do Petróleo da sua origem até os dias de hoje (incluindo notícias até dezembro de 2019)! São 160 anos de história com muitas curiosidades, fotos, e foi escrito de forma bem simples e descontraída!

 

 

Artigo anteriorAnalise de JPMorgan Chase & Co. (JPM)
Próximo artigoAgenda de Dividendos: Destaque para a próxima semana
Meu nome é Leo Bittencourt, tenho 37 anos, sou casado e pai de 1 filho. Sou formado em Ciência da Computação pela UFRJ e sou estudioso do setor de Óleo e Gás. Sou apaixonado por praias e pela vida simples do interior, especialmente por Minas Gerais, com suas serras, cafés e comidas artesanais. Como investidor comecei com 22 anos, comprando meus primeiros "pequenos" imóveis na cidade do Rio de Janeiro. De lá pra cá, me aventurei em alguns empreendimentos e entrei no Mercado de Ações em 2010 comprando minhas primeiras ações. Hoje a minha missão é ajudar pessoas levando maiores informações possíveis sobre investimentos, mercados e empresas!