Panorama Semanal do setor de Petróleo e Gás natural (25 a 31/julho/2021)

(Por: Leo Bittencourt)

– Crise hídrica impulsiona importação de gás natural dos EUA para o Brasil e Argentina:

A pior crise hídrica do Brasil em quase um século e menor geração de energia hidrelétrica na Argentina transformaram a América do Sul em um mercado-chave para o gás natural liquefeito dos Estados Unidos em julho.

A seca no Brasil elevou o volume de GNL importado dos EUA para nível recorde em junho, quando recebeu 14 cargas. O Brasil agora lidera todas as importações entre países em julho, com 12 embarques baseados em chegadas de petroleiros até 26 de julho.

Pelo menos quatro cargas de GNL dos EUA estão a caminho da Argentina, segundo dados de exportações analisados pela Bloomberg News. O Gaslog Chelsea, com uma carga do terminal Cove Point, desviou da rota rumo a Roterdã em 21 de julho e agora segue para Bahía Blanca. A Argentina já havia aumentado as importações em abril para evitar um déficit, pois os preços baixos e a pandemia paralisaram novas perfurações no país. A Argentina recebeu principalmente cargas parciais menores dos EUA em 2020-2021. (Fonte: Bloomberg) (Eu escrevi sobre a retomada da indústria de petróleo dos EUA no livro Ouro Negro)

– Consumo de combustíveis dá sinais de recuperação no 1º semestre:

O consumo de combustíveis fechou o primeiro semestre com sinais de recuperação no Brasil, em relação a igual período do ano passado, entre praticamente todos os derivados, segundo dados da Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP).

A exceção ficou por conta do querosene de aviação (QAV), cujas vendas ainda seguem impactadas pelo enfraquecimento da demanda por transporte aéreo na pandemia. A melhora do mercado doméstico, porém, ainda não significa uma plena retomada da comercialização de combustíveis, aos níveis pré-pandemia, para a maioria dos produtos.

Os números da ANP mostram que o diesel segue como o grande destaque positivo. O consumo do derivado cresceu 11% nos seis primeiros meses de 2021, frente à primeira metade do ano passado, para uma média de 4,94 bilhões de litros por mês. Na comparação com o primeiro semestre de 2019, houve um aumento de 8,1%. “O carro-chefe é o agronegócio, mas também está havendo uma tendência muito forte de crescimento do transporte de produto industrializado, de carga seca no Brasil, diante de toda a transformação do consumidor neste momento [de pandemia], com o e-commerce, a venda online, o delivery”, afirmou o presidente da Ipiranga, Marcelo Araújo, em evento on-line, este mês. (Fonte: Valor Online)

– Petrobras inicia em agosto produção de petróleo e gás em Sépia no pré-sal:

O campo de Sépia, área da cessão onerosa do pré-sal da Bacia de Santos, começará a produzir em agosto. O FPSO Carioca, que será responsável pela produção, deixou o Estaleiro Brasfels, em Angra dos Reis, no início do mês de julho rumando para a Bacia de Santos. A plataforma terá capacidade para produzir diariamente 180 mil barris de petróleo bruto (bpd) e 6 milhões de metros cúbicos de gás, além de armazenar 1,4 milhão de barris de petróleo.

Sépia é uma das áreas da cessão onerosa do pré-sal da Bacia de Santos. Em 17 de dezembro, o governo vai licitar – pela segunda vez – o volume excedente de petróleo para o projeto, junto com o campo de Atapu. O campo de Sépia terá bônus de assinatura de R$ 7,138 bilhões e alíquota de partilha de 15,02%. Já Atapu terá bônus de assinatura de R$ 4,002 bilhões e alíquota de partilha de 5,89%. A Petrobras já manifestou direito de preferência e será operadora da área com pelo menos 30% de participação. O ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, já indicou que a expectativa do governo é que a concorrência de outras empresas no leilão será para atuar em conjunto com a Petrobras. (Fonte: epbr)

– Estoques de Petróleo nos EUA:

Na última quarta-feira (28/julho) foram divulgados os números dos estoques semanais de petróleo bruto dos EUA pela agência “Energy Information Administration (EIA)”. Os estoques de petróleo apresentaram uma queda de 4,08 milhões de barris na semana passada, em comparação com as expectativas dos analistas de uma queda de 2,92 milhões de barris.

Os estoques chegaram a um nível mais baixo desde janeiro de 2020, retomando a tendência de queda depois de inusitado aumento das últimas duas semanas. Os estoques de gasolina e derivados também caíram. “Uma recuperação na demanda implícita por gasolina e derivados, assim como menores operações nas refinarias, encorajou a redução de estoques para ambos“, afirmou Matt Smith, diretor de pesquisa de commodities da ClipperData. (Fonte: Reuters / Investing.com)

– Número de sondas americanas em atividades:

Ontem foi divulgado, pela empresa de serviços de energia Baker Hughes, a contagem do número de sondas de perfuração em atividade nos EUA. A contagem desta semana registrou uma queda de 2 sondas em relação semana passada, registrando um total de 385 sondas de perfuração em atividade. Na semana retrasada esta contagem tinha registrado um aumento de 7 sondas totalizando 387 sondas. Esses dados indicam um sinal de retomada da produção americana de Shale-Oil, no entanto, ainda está bem longe de recuperar os números de antes da pandemia, quando registrava em março a faixa de 680 sondas em atividades. Vamos ficar de olho! (Fonte: EUA – Contagem de Sondas Baker Hughes – Investing.com)

– Panorama Semanal do preço do Barril do Petróleo:

Os preços do petróleo avançaram nesta sexta-feira, com a referência global Brent registrando seu quarto ganho mensal, diante do crescimento na demanda mais rápido que a oferta e a expectativa da vacinação aliviar o impacto de um ressurgimento nas infecções de Covid-19 pelo mundo.

Mesmo com o aumento dos casos de coronavírus nos Estados Unidos, em toda a Ásia e em partes da Europa, analistas disseram que as taxas de vacinação mais altas limitariam a necessidade de restrições severas que destruíram a demanda durante o pico da pandemia no ano passado. Na visão de analistas, o mercado do óleo diminuiu a preocupação em relação à variante delta do coronavírus, com expectativas de que a demanda aumente no segundo semestre deste ano.

A partir de segunda-feira, os investidores devem monitorar os impactos do aumento de oferta pela Organização dos Países Exportadores de Petróleo e aliados (Opep+), que passará a incluir mais 400 mil barris da commodity por dia no mercado. Apesar da expectativa de alta demanda, analistas do Commerzbank afirmam que a iniciativa da Opep+ deve garantir que não haja preocupação com a oferta restrita no mercado de petróleo.

Os contratos futuros do Brent para o mês de outubro/2021, terminaram o dia com uma alta de 0,05%, encerrando o dia negociados a US$ 75,14 o barril na Intercontinental Exchange (ICE), em Londres. preços do WTI para o mês de setembro/2021 apresentaram uma alta de 0,14%, sendo negociado a US$ 73,72 o barril na Bolsa de Mercadorias de Nova York (Nymex). No acumulado semanal, a referência global Brent apresentou um aumento de 1,40% e a referência americana WTI aumento de 2,29%. (Fonte: Reuters / Investing.com)

Até a próxima semana!

Abraços

Leo Bittencourt

(Especialista no Setor de Petróleo e Gás)

DESCUBRA O PODER EXPLOSIVO DAS SMALL CAPS! CONHEÇA A NOSSA NOVA CARTEIRA:

SMALL CAPS: A LISTA DAS AÇÕES MAIS EXPLOSIVAS DA BOLSA DE VALORES

Venha descobrir as ações que poderão se valorizar muito em pouco tempo!

O Dica de Hoje também lançou uma Área Internacional. Ela reúne boas estratégias em investimento que aplicam parte do patrimônio no exterior. Contam com profissionais qualificados e equipe competente. Uma opção mais viável para quem quer diversificar e investir lá fora.

Descubra a estratégia que permite aos grandes investidores lucros até mesmo durante a pior das crises. Conheça os detalhes da metodologia Anti-crise, provada e comprovada do DIVIDENDOS 3X, que pode multiplicar os rendimentos das ações (Mesmo em um ano de fracos Dividendos!).

 

Você conhece os nossos planos de assinaturas?

Plano Combo Ações + FIIS – Dica de Hoje

Você já adquiriu o nosso livro OURO NEGRO??

Clique aqui e tenha em mãos a incrível história do Petróleo da sua origem até os dias de hoje (incluindo notícias até dezembro de 2019)! São 160 anos de história com muitas curiosidades, fotos, e foi escrito de forma bem simples e descontraída!

Leonardo Bittencourt

Meu nome é Leo Bittencourt, tenho 37 anos, sou casado e pai de 1 filho. Sou formado em Ciência da Computação pela UFRJ e sou estudioso do setor de Óleo e Gás. Sou apaixonado por praias e pela vida simples do interior, especialmente por Minas Gerais, com suas serras, cafés e comidas artesanais. Como investidor comecei com 22 anos, comprando meus primeiros "pequenos" imóveis na cidade do Rio de Janeiro. De lá pra cá, me aventurei em alguns empreendimentos e entrei no Mercado de Ações em 2010 comprando minhas primeiras ações. Hoje a minha missão é ajudar pessoas levando maiores informações possíveis sobre investimentos, mercados e empresas!