Retrospectiva 2019

0
114
Retrospectiva 2019

Retrospectiva 2019

O ano de 2019 acabou. Para muitos, foi o ano da Renda Variável. Tudo, ou praticamente tudo, subiu. Raros são os casos de pessoas que perderam dinheiro.

É claro que há exceções para essa alta. Na verdade, a exceção foi um dos principais fatores para a alta.

Em um ano em que a taxa Selic caiu de 6,5 para 4,5% ao ano, os investidores entenderam que precisavam adicionar risco às suas carteiras caso quisessem ter alguma chance de aumentar seu patrimônio através de investimentos.

 

Outro fator importante para a escalada da Renda Variável foi a mudança nos paradigmas político-econômicos.

O governo conseguiu aprovar algumas reformas, o que aumentou a confiança dos setores produtivos, reaquecendo a economia.

Não sei quanto a você, mas o panorama geral, na minha opinião, é positivo. Talvez não tanto quanto gostaria, mas positivo.

Falando de Bolsa, o número de investidores praticamente dobrou. No final de 2018, éramos 810 mil. Já no final de 2019, somos 1,59 milhão.

Por outro lado, até novembro de 2019, a Poupança apresentou captação líquida negativa de R$ 6,15 bilhões.

Ou seja, mais se tirou dinheiro da Poupança do que se colocou lá. Comparando com o mesmo período de 2018, a captação líquida foi positiva em R$ 23,4 bilhões.

É claro que não podemos dizer que os saques foram consequência exclusiva da melhora da economia e da busca por novos investimentos.

Há outros fatores envolvidos como a alta taxa de desemprego (apesar de estar em queda).

Mas, acredito que seja seguro dizer que essa fuga para a Renda Variável tenha sido um fator, no mínimo, importante.

 

Falando, agora, dos investimentos que mais renderam em 2019.

Temos em primeiro lugar o índice Small Cap (SMLL). Ele foi criado em 2005 e reúne ações de empresas de menor capitalização na Bolsa. A alta no ano foi de 58,2%, bem acima do Ibovespa, principal índice da Bolsa, que subiu 31,6%.

Nenhuma das 73 empresas que fazem parte do SMLL ultrapassam R$ 15 bilhões de valor de mercado.

Para você ter uma noção de tamanho, a Petrobras está avaliada em mais de R$ 400 bilhões.

O segundo lugar ficou com o IDIV, índice que reúne as ações boas pagadoras de dividendos, com 45,2% de retorno.

Em seguida estão: IFIX, índice de fundos imobiliários, com 36,0%; BDRX, índice de BDRs, com 35,7%; IBOV, índice das principais ações do país, com 31,6%; e o contrato à vista de Ouro, com 28,1%.

Do lado da Renda Fixa, também tivemos indicadores com bons desempenhos.

A queda da taxa de juros causou uma valorização dos preços dos títulos públicos através da marcação a mercado.

O retorno foi de dois dígitos em dois desses indicadores, sendo de 22,9% no IMA-B, índice de títulos públicos indexados à inflação, e de 12% no IRF-M, índice de títulos públicos prefixados.

Em seguida estão: IDA, índice de debêntures, com 8,4%; CDI com 5,9%; e Poupança com 4,3%.

No câmbio, o Dólar se valorizou 4% e o Euro 1,7%.

Note que, como eu disse no início, tudo subiu.

Até a Renda Fixa, que teve sua rentabilidade drasticamente reduzida, teve bom desempenho na marcação a mercado.

 

Dado esse cenário, acho importante colocar aqui algumas recomendações, cuidados e reflexões.

1) Em mercado de alta, todo mundo é guru.

Cuidado com isso. Você tanto pode se achar o guru pois rentabilizou sua carteira em 50% no ano, por exemplo, quanto pode seguir cegamente algumas recomendações que foram muito rentáveis e achar que o cara é infalível.

Evite achar que você ou alguém é o escolhido. Uma hora o tombo vem e pode te tirar do jogo.

 

2) Não ponha todos os ovos na mesma cesta.

Eu sei que a tentação de colocar todo o seu dinheiro em alguma coisa que está dando certo é grande. Acontece comigo também.

Mas, ser um bom investidor quer dizer que você provavelmente nunca terá a melhor rentabilidade.

Por outro lado, você também nunca terá o maior prejuízo. Sua carteira precisa ser balanceada para que consiga aproveitar as altas e amortecer as quedas.

 

3) Ainda dá tempo.

Se você não aproveitou a alta de 2019, provavelmente você está se sentindo o pior investidor do mundo. Não caia nessa.

Do contrário, você vai arriscar grande parte do seu capital para “tirar o atraso”.

Ainda dá tempo de diversificar seus investimentos, sem correr grandes riscos, e ganhar dinheiro em 2020.

 

4) O bonde já passou.

Por outro lado, falando de Renda Fixa, não creio que ainda seja possível ganhar dinheiro com a marcação a mercado correndo baixo risco.

A Selic deve cair somente mais 0,25 p.p. no início de 2020, voltando para o patamar atual no fim do ano.

Uma especulação em títulos públicos nesse momento tem muito mais chance de dar errado do que certo.

 

 

E para você? Como foi o ano de 2019? Coisas boas aconteceram? Ansioso por 2020? Conte-nos nos comentários.

Se você tem lido e curtido meus artigos aqui para o Dica de Hoje, gostaria de te convidar a conhecer o meu canal no YouTube. Lá você encontrará diversos vídeos já gravados sobre Finanças, Investimentos e Mindset, além de três vídeos novos toda semana! Inscreva-se, curta e compartilhe: https://www.youtube.com/lucasmauricioo?sub_confirmation=1

Abraços,

Lucas Mauricio