Vale a pena emprestar dinheiro para as melhores empresas do Brasil?

0
180
empresas_capa

Vale a pena emprestar dinheiro para as melhores empresas do Brasil? (Carteira Z)

 

Queremos começar esse artigo explanando sobre uma possibilidade que pode ser interessante para compor o seu portfólio.

Já pensou em emprestar dinheiro para boas empresas em troca de uma remuneração?

Você pode fazer isso e ainda ficar isento de imposto de renda.

Estamos falando sobre as debêntures incentivadas.

Com um valor a partir de 100 reais você está apto a investir em mais de 50 debêntures ao mesmo tempo, com isso reduzindo o risco do seu investimento pela alta pulverização.

Antes de começar, quero te convidar para dar um passo adiante, rumo a seus objetivos financeiros, sendo membro Gold Dica de Hoje, com materiais completos de ações, fundos imobiliários, Carteira  e fundos de investimentos e mais.

Quando as empresas precisam arrecadar dinheiro para construir estradas, aeroportos, elas podem recorrer a um título chamado debêntures, que nada mais é do que um empréstimo para que elas façam operações dessa natureza. Veja que esses serviços são essenciais para a infraestrutura do nosso país, e, em virtude disso, o Governo Federal não cobra imposto de renda, a fim de incentivar as pessoas a comprarem esses títulos, ajudando no desenvolvimento do país.

 

Portanto, as debêntures incentivadas são um título privado de renda fixa.

Ao investir em algum CDB você empresta dinheiro para o banco, quando você compra um título público do Governo Federal, você o ajuda a financiar obras ou projetos para o país.

Como a debênture é também um título de renda fixa, as regras de retorno são bem definidas. A remuneração pode ser referenciada como um percentual do CDI, CDI + “spread”, um índice de preços como o IGP-M ou IPCA ou através de uma taxa pré-definida.

Você deve estar pensando qual a garantia de uma debênture. Com relação ao risco de crédito, um CDB tem a garantia do FGC (Fundo Garantidor de Crédito) até R$ 250.000,00. Uma debênture, assim como um título do Tesouro não tem essa garantia. No caso do Tesouro a garantia vem do governo federal. Na debênture a garantia vem da empresa emissora do título.

É importante, portanto, conferir o “rating” da debênture e da empresa emissora, refletido pelas agências de classificação de risco.

Consideramos uma boa opção a escolha de um Fundo de Debêntures Incentivadas para compor o Portfólio de um investidor, tendo em vista, como descrito acima, a possibilidade de alta diversificação existente dentro da alocação do fundo. Para investir por conta própria em todas as debêntures pertencentes a um fundo, seria preciso uma quantia enorme de capital.

Há diversos fundos de debêntures incentivadas. Quanto mais alocado em empresas de risco alto, maior a rentabilidade que pode ser produzida por ele.

Percebemos que após o último corte da Selic, os rendimentos delas aumentaram, como previsto por nós em nosso relatório da Carteira Z, para os assinantes, do dia 13 de abril de 2018.

Vejamos abaixo alguns fundos de debêntures incentivadas que possuem volatilidade um pouco acentuada.

 

Quer ter acesso a nossas carteiras de Ações?

Insira o seu endereço de email abaixo para receber gratuitamente e conheça as carteiras da Área de Membros!

 

Para exemplificar vamos comparar dois períodos:

 

21/07/2017 a 21/03/2018 (8 meses antecedentes ao último corte da Selic):

empresas-capa

Fonte: Verios.

 

(ocultamos os nomes dos fundos por não se tratar de recomendação).

Veja que, apesar de boas rentabilidades, principalmente se considerarmos que os fundos são isentos de imposto de renda, elas não foram tão descoladas do CDI.

Agora, quando pegamos o gráfico com os mesmo fundos, após o último corte da SELIC, percebemos uma considerável diferença.

 

21/03/2018 a 21/11/2018 (8 meses posteriores ao último corte da SELIC)

melhores empresas do Brasil

 

Trata-se dos mesmos fundos. Observamos uma rentabilidade consideravelmente maior no período sucessivo a última queda da SELIC.

Isso nos mostra que é um bom momento para uma alocação nesse tipo de produto, como já previsto por nós, tendo em vista a manutenção atual da taxa Selic ainda por alguns períodos e estamos estudando com afinco para recomendar os melhores fundos para a sua carteira.

 

Estamos preparando os últimos ajustes com análise completa do fundo que, com 100 reais, te fará investir em mais de 50 empresas diferentes, majoritariamente de rating AAA, o que diminui drasticamente o risco da operação.

 

No nosso relatório quinzenal que sairá amanhã, dia 07 de dezembro de 2018, estaremos com tudo pronto e você poderá conferir esse material na sua área de membros Dica de Hoje, também com as rentabilidades das Carteiras Z de janeiro até novembro de 2018, em detalhes. Nossa Carteira Z HARD, a mais agressiva, ultrapassa 33% no ano. Quase 200% do Ibovespa.

Se você quiser conhecer nossos relatórios, oferecemos duas opções através do Dica de Hoje:

 

Plano Mensal e o Plano Anual

Se você quiser conhecer e assinar somente a Carteira Z, acesse: www.carteiraz.com/planos e ganhe carteiras exclusivas Dica de Hoje.

 

Qualquer dúvida ou sugestão serão muito bem-vindas.

Abraços e bons investimentos.

 

Rafael Zattar

 

Artigo anteriorRE-IPO: Entendendo a Nova onda
Próximo artigoQuais Fiis de Papel podem render mais?
Rafael Zattar, Administrador de Empresas, Pós graduando em Gestão Pública e especialista em fundos de investimento. Ele se encantou pelo mundo dos fundos de investimento pela possibilidade de poder estudar as melhores gestões e selecionar a nata desse universo e, ao mesmo tempo, ajudar as pessoas a focarem em suas atividades profissionais para turbinar os aportes acompanhando as análises da Carteira Z. Apaixonado pela família, a sua avó Zenilda é o amor de sua vida e a inspiração de todos os dias. Tem como companheira de vida e parceira Stella e filho da batalhadora Silvia e sua irmã Carla, analista do Ministério Público, além de sua melhor amiga, é a revisora dos textos da Carteira Z.