Volatilidade que mata (Carteira Z)

0
33
volatilidade

Volatilidade que mata (Carteira Z)

A Volatilidade nada mais é que uma medida de dispersão dos retornos de um produto financeiro. Quanto mais o preço de um produto varia num espaço de tempo, maior o risco de se ganhar ou perder dinheiro o negociando. A volatilidade é uma medida de risco. Quase todos querem ganhar “rios de dinheiro” rapidamente, mas poucos tem resiliência para suportar, mesmo havendo moderadas quedas, tampouco, acentuadas.

Para aprender a montar uma carteira de ações e/ou de fundos resiliente, queremos convidá-lo a dar um passo adiante rumo aos seus tão sonhados objetivos financeiros, sendo membro GOLD DICA DE HOJE, através desse link.

Ao longo dos meus anos estudando medicina, que não aconteceram, aprendi que quando vemos um monitor cardíaco e as linhas estão subindo e descendo de forma contínua, porém assimétricas, há vida, e quando a linha é contínua e reta, quer dizer que o sujeito foi estudar a botânica por baixo, como dizia meu avô.

A volatilidade faz parte da vida, em qualquer contexto, e é necessário que o investidor se acostume. Podemos adaptar a nossa carteira de investimentos para o menor risco possível, mas, mesmo assim, ele estará presente.

Você pode retrucar dizendo que no CDI há pouca volatilidade. Será?

volatilidade

Fonte: Vérios.

 

É comum ver os problemas que a alta volatilidade pode trazer à gestão dos fundos. Mas, também, há oportunidades. Observando apenas sob a ótica de retornos, conseguimos perceber que existem diversos fundos que apresentam desempenhos muito positivos, mesmo com todos os períodos de alta volatilidade dos últimos anos. Contudo, há fundos de má qualidade e com altas taxas de administração e de performance, que não são justificadas pelo seu resultado. É o lado negro da força, que é bastante volumosa.

 

Quer ter acesso a nossas carteiras de Ações?

Insira o seu endereço de email abaixo para receber gratuitamente e conheça as carteiras da Área de Membros!

 

A alta volatilidade pode trazer retornos negativos, em particular para os fundos de ações. Mas é inegável que traz oportunidades que muitos gestores sabem aproveitar. Cabe ao investidor selecionar adequadamente esses gestores, sua estratégia e seus produtos, além de analisar indicadores.

Resumindo:

“Muitas vezes, a tormenta é parte do processo que nos leva ao nosso propósito.”

A volatilidade que mata é a mesma que fortalece. Muitos resgatam seu capital de um fundo, com boa gestão, exatamente num momento de retomada. É preciso cautela e estudo.

Estamos sempre em busca de produtos e gestões que se destacam no meio em que atuam.

No relatório dessa sexta-feira, dia 28 de setembro, para os nossos assinantes, tivemos o prazer de entrevistar a gestão de um fundo que tem nos apetecido.

O Fundo, desde a sua criação, teve a média de rentabilidade de 1,19%.

Vamos resumir aqui como uma gestão competente trabalha, de acordo com a nossa entrevista:

Temos duas reuniões semanais para discutir nossas visões de Brasil e internacional e, baseado nisso, pensamos nossas posições.

Posto nosso cenário, o portfólio é dividido em dois níveis, um livro chamado “core”, que tem nossas visões consensuais e que abriga os grandes temas macro e os livros “non core” ou individuais, nos quais cada gestor é livre para expressar suas visões.

Nosso diferencial é a soma das partes no nosso time. Não dependemos de uma única pessoa, e a diversidade de ideias contribui para fazer um produto bastante equilibrado e diversificado. Temos membros que fizeram suas carreiras focadas no mercado local e outros focados no mercado internacional, isso nos dá uma vantagem para navegar em diferentes ambientes e mercados. Além disso, a equipe possui gestores e analistas de renda variável de altíssimo nível, complementando nossas posições com sua expertise em bolsa.

O fundo, acertadamente, reduziu a volatilidade em 2018 e a rentabilidade desde o nascimento é bastante satisfatória. Esse é o tipo de gestão que procuramos.

Você poderia perguntar?

Então é preciso esse nível de complexidade e conhecimento para conseguir resultados?

Acreditamos que não necessariamente, mas como dizia Friederich Nietzsche, que não teve a oportunidade de conhecer a Research Dica de hoje, tampouco a Carteira Z, se o conhecimento pode criar problemas, não é através da ignorância (falta de conhecimento) que podemos solucioná-los. Escolher um bom fundo não é tarefa fácil. É necessário adequar o produto a seus objetivos e entender a estratégia e, não menos importante, conhecer a gestão.

Nós te ajudamos nessa jornada, trazendo informações substanciadas para que a tomada de decisão seja de acordo com suas expectativas.

Se você quiser ver a entrevista, na íntegra, com a gestão do fundo supracitado, assine a área de membros dica de hoje e tenha acesso a materiais de alta qualidade, além da Carteira Z. Você pode cancelar até  o 29° dia, sem custo algum.

Se você quiser assinar a Carteira Z e ter direito a nossas Carteiras recomendadas e também a relatórios quinzenais com análise de fundos, comparativos, entrevista com gestores e panoramas de mercado, assine agora e pague o equivalente a R$14,90 mensal, além de ter acesso a algumas Carteiras de ações Dica de Hoje.

 

Abraços e bons investimentos,

 

RAFAEL ZATTAR