PROFARMA: Resultados 1T19 – Dica de Hoje

0
259
profarma

PROFARMA (código Bovespa: PFRM3)

RESUMÃO – Resultados 1T19:

(Data de divulgação: 14/maio/2019)

(Dados retirados do site de RI: http://ri.profarma.com.br)

 

– Estratégia da empresa:

 

O grupo Profarma é considerado o player mais diversificado do setor de saúde do Brasil. Com mais de 58 anos de atuação, o grupo tem atuação em Distribuição (de produtos farmacêuticos, higiene e beleza), Varejo (com uma Unidade de Negócio com a marca d1000 formada pelas redes Drogasmil, Farmalife, Drogarias Tamoio e Drogaria Rosário) e Especialidades (através da ProfarmaSpecialtyque é uma joint venture criada em 2014 a partir da associação estratégica entre a Profarma e a AmerisourceBergen(EUA), líder mundial no segmento de Especialidades).

 

A empresa segue com a trajetória de melhoria operacional em todas as suas divisões. Adotaram uma série de iniciativas relevantes no primeiro trimestre, como, por exemplo: a) implantação da filosofia de gestão LEAN na área de Logística; b) segmentação da área de Supply entre Distribuição e Varejo, objetivando acelerar a captura de oportunidades na redução de rupturas e leadtime, além de otimizar o capital de giro; c) reestruturação da área comercial do Varejo, segmentando sell in e sell out.

 

– Composição Acionária:

 

profarma

 

 

– Destaques Operacionais e Financeiros:

 

Adoção do IFRS 16:

 

Com a obrigatoriedade da adoção do IFRS 16, a Profarma reconheceu a parcela fixa de contratos de arrendamentos operacionais de lojas e centros de distribuição como ativos (direito de uso) e os compromissos futuros de arrendamentos como passivos.

 

profarma

 

– Divisão “Distribuição”:

 

No 1T19, a divisão Distribuição registrou aumento de 21,3% na receita bruta, quando comparado com o 1T18, e um incremento de 63,6% no Ebitda, atingindo R$ 11,1 milhões e uma margem Ebitda de 1,1%, 0.3 p.p. maior que o 1T18. Vale destacar a redução das despesas operacionais e corporativas em 1.0 p.p., resultante, principalmente, do ganho de escala da divisão.

 

profarma

 

– Divisão “Varejo”:

 

No 1T19, a divisão Varejo apresentou receita bruta de R$ 291,9 milhões, 2,3% abaixo em relação ao 1T18, considerando a receita das vendas mesmas lojas maduras, a divisão registrou evolução 2,1% no trimestre. A divisão registrou também um crescimento de 7,8% no faturamento médio por loja. O Ebitda foi 35,0% maior na comparação com 1T18, atingindo R$ 3,2 milhões, com margem Ebitda de 1,1%, 0,3 p.p. acima do 1T18. O lucro bruto no 1T19 foi 6,4% menor quando comparado ao 1T18, em grande parte resultado do fechamento de 21 lojas no período.

 

profarma

 

– Divisão “Especialidades”:

 

No 1T19, a divisão Especialidades apresentou receita bruta consolidada de R$ 331,6 milhões no 1T19, 19,5% superior comparado ao 1T18. O incremento nas vendas foi ocasionado pelo aumento de 26,6% ante o 1T18, no setor privado. Na visão por categoria, os destaques foram os segmentos de dermocosméticos e vacinas, com acréscimos de 87,9% e 54,5% em comparação com 1T18. As despesas operacionais apresentaram um decréscimo de 0.3 p.p., quando comparado ao 1T18, saindo de 7,5% para 7,2% da receita operacional líquida. O Ebitda foi de R$ 7,7 milhões (margem 2,6%), o que representa um aumento de R$ 3,9 milhões em relação a 1T18, principalmente em função do aumento nas vendas.

 

profarma

 

– Receita Operacional Bruta:

 

No 1T19, a receita bruta consolidada alcançou R$ 1,276 bilhão, aumento de 12,6% em relação ao 1T18. O aumento está relacionado, principalmente, à divisão Distribuição que apresentou crescimento de 21,3%.

profarma

 

– Lucro Bruto:

 

No 1T19, o lucro bruto consolidado atingiu R$ 164,6 milhões no 1T19, sendo 2,8% maior na comparação com o 1T18, em grande parte devido a evolução registrada na divisão Distribuição (R$ 10,0 milhões), parcialmente compensado pela redução de R$ 5,5 milhões na divisão Varejo, principalmente em função do fechamento de 21 lojas no período.

 

profarma

 

– Lucro Líquido:

 

No 1T19, a Profarma apresentou prejuízo líquido de R$ 7,9 milhões, R$ 4,4 milhões melhor que o prejuízo líquido ajustado de R$ 12,3 milhões no 1T18, principalmente em função da evolução do resultado líquido da divisão Distribuição em R$ 7,4 milhões, parcialmente compensados pelo incremento no prejuízo líquido do Varejo em R$ 2,9 milhões. Considerando o IFRS 16, o prejuízo líquido da empresa foi de R$ 8,5 milhões.

 

profarma

 

– Endividamento:

 

A Dívida Líquida consolidada da Profarma, ao final de março de 2019, alcançou R$ 449,8 milhões, o que representou um incremento de R$ 53,1 milhões em relação a dezembro de 2018. Este aumento de dívida líquida esteve diretamente relacionado aos investimentos em estoques adicionais tendo em vista o reajuste anual de preços autorizado pelo governo de 4,3%, 72,0% maior em relação ao reajuste do ano anterior.

O índice de alavancagem (Dívida Líquida/Ebitda) atingiu neste trimestre 4,5x, bem abaixo do índice registrado no 1T18, de 5,9x. Esta redução foi justificada pela sequência de bons resultados operacionais nos últimos 4 trimestres aliado ao aumento de capital realizado em 2018.

 

profarma

 

– Fluxo de Caixa:

 

As disponibilidades de caixa da Profarma no 1T19 apresentaram decréscimo de R$ 87,7 milhões, decorrente de R$ 46,9 milhões aplicados nas atividades de financiamento, R$ 32,6 milhões aplicados nas atividades operacionais e por R$ 8,1 milhões aplicados nas atividades de investimento.

 

profarma

 

profarma

Conclusão sobre os resultados:

 

A Profarma é uma empresa farmacêutica que vai tentando fazer um turnaround bem sucedido. Como vocês podem ver abaixo, a companhia não consegue fechar 12 meses com lucro desde 4T2013. E até por isso, a empresa negocia hoje a 0,48x o Valor Patrimonial, ou seja com deságio de 52%.

 

profarma

 

Cabe ressaltar que em uma conta rápida, caso a companhia volte a gerar seu maior lucro que estava na casa dos R$ 50 milhões em 2010, seu P/L atual ficaria em 9,7x que é considerado um P/L muito baixo para o setor de saúde. Outras companhias lucrativas farmacêuticas operam com este indicador muito mais alto. RADL3 negocia a um P/L de 52,23, PNVL4 (Panvel do Grupo DIMED) negocia a um P/L de 15,21 e HYPE3 a um P/L de 15,93.

 

Causa estranheza ver que a companhia teve um aumento de capital social que o mesmo passou de R$ 826,5 milhões para R$ 1,16 bilhões e mesmo com essa entrada de dinheiro em caixa a dívida líquida da empresa subiu de R$ 312 milhões para R$ 449,8 milhões.

Quer ter acesso a nossas carteiras de Ações?

Insira o seu endereço de email abaixo para receber gratuitamente e conheça as carteiras da Área de Membros!

 

Isso é explicado pelo consumo de Caixa que a companhia ainda tem em sua operação. A companhia apesar de ter um bom ciclo de capital de giro, principalmente pelo prazo de pagamento com fornecedores, consumiu R$ 55,8 milhões de Caixa em 2018 apenas nas atividades operacionais, R$ 51,8 milhões em 2017, e R$ 32 milhões apenas no 1T2019. Ou seja, a operação da companhia ainda não é boa e não demonstra recuperação.

 

O segmento Varejo, que tem ¼ da Receita Líquida mas que possui ½ da Margem Bruta fechou 21 lojas nos últimos 12 meses e agora tem 204 lojas no total. Em uma comparação rápida com a RD código RADL3 que possui mais de 1830 lojas ao fim do 1T2019, a Receita Líquida por loja de RADL3 média é de R$ 8,9 milhões por loja, enquanto a Receita Líquida média por loja de Profarma é pouco superior a R$ 6 milhões. A margem Bruta de Varejo do 1T2019 de Profarma é de 27,9% enquanto a de RADL3 é de 29,4%. São pequenos pontos que a Profarma tenta recuperar, mas em um mercado que vai ficando cada vez mais concentrado, vai se tornando cada vez mais difícil.

 

Na divisão especialidades, a companhia teve uma receita líquida em 2018 de R$ 3,752 bilhões e uma margem Ebitda de apenas 1,8% ou R$ 69,2 milhões, enquanto isso Hypera Pharma, a antiga Hypermarcas que também distribui remédios para grandes redes teve uma Receita Líquida acumulada em 2018 de R$ 3,724 bilhões e um Ebitda de R$ 1,318 bilhões com uma margem Ebitda de 35,4%.

 

Estes dois exemplos foram apenas para mostrar a grande disparidade que existe entre ProFarma e as melhores no setor. No setor Varejo aqueles 1,5% na Margem Bruta mai o alto endividamento fazem ela ficar no prejuízo e RD ter uma margem líquida de 3% a 4% típica do Varejo. Enquanto isso no segmento de distribuição a ProFarma leva “um banho” da Hypera.

 

A grande questão é, se operacionalmente a ProFarma é muito pior que a Hypera e que a RD, estamos diante de uma empresa que negocia a múltiplos muito menores. Enquanto a Profaram vale R$ 470 milhões, a HYPERA tem valor de mercado de R$ 18,3 bilhões e a RD Radl3 tem valor de mercado de R$ 24,5 bilhões.

 

Como sempre falamos, as boas empresas com bons resultados costumam já estar precificadas. As companhias com prejuízo e com resultados ruins, possuem preços menores, mas têm um risco associado maior. Então vamos calcular o preço justo de ProFarma, mas na área fechada de assinantes da Area de Membros. Para mais informações veja a seguir

 

Convido você também para conhecer nosso curso completo e avançado de análise fundamentalista. Inscrições se encerram na quinta feira. Se quiser mais informações, clique aqui, Para não perder tempo e adquirir logo o seu curso com desconto a vista, clique aqui.

 

Está com dificuldade de achar oportunidades?

Quer receber recomendações sobre as melhores ações da Bolsa? Relatórios e Vídeos semanais de análise de empresas. Clique aqui e vire um Membro Gold (pagando menos de R$1,25 por dia!)

 

Veja a tabela abaixo com todos os benefícios:

 

Membro Bronze* Carteira Z Membro Gold
Carteira PEG  Não Sim Sim
Carteira Barganhas Sim Sim Sim
Carteira P/L abaixo da Média Sim Sim Sim
Carteira de Dividendos Não Sim Sim
Carteira Número de Graham Não Sim Sim
Carteira de Greenblatt         Não Sim Sim
Carteira P/VP x ROE Não Sim Sim
Carteira Z (fundos de Investimentos) Não Sim Sim
Carteira Dica de Hoje Não Não Sim
Dados de empresa Sim Sim Sim
Relatórios Dica de Hoje (ações + FIIs) Não Não Sim
Resultados de Empresas com cálculo de preço justo Não Não Sim
Panorama de ações Sim Sim Sim
Radar de FIIs Não Não Sim
Vídeos Dica de Hoje Não Não Sim
Hangouts Não Não Sim
Descontos em cursos Não Não Sim
Clique Gratuito R$ 239,90 anual R$ 447,00 anual

*As carteiras Membro Bronze podem ser modificadas sem aviso prévio, a qualquer momento.

 

Para informações sobre o Curso de opções Dica de Hoje, clique aqui.

Abraços e Bons Investimentos!

 

            Daniel Nigri(analista CNPI)

            Com a ajuda de Leo Bittencourt

 

 

 

Disclosure

Elaborado pelo analista independente Daniel Isaac Nigri CNPI 1810, este relatório é de uso exclusivo de seu destinatário.

Este estudo é baseado em informações disponíveis ao público nos próprios sites de RI das empresas analisadas ou comparadas, consideradas confiáveis na data de publicação.

As opiniões, aqui expressas, estão sujeitas a mudanças, por se tratarem de estimativas baseadas em fundamentos e projeções de futuro que podem ou não ocorrer.

Este relatório não representa oferta de negociação de valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros.

As análises, informações e estratégias de investimento têm como único propósito fomentar o debate entre o analista responsável e os destinatários. Os destinatários devem, portanto,

desenvolver as próprias análises e estratégias (ou seja, “caminhar com as próprias pernas” e ter bom senso).

Informações adicionais sobre quaisquer sociedades, valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros aqui abordados podem ser obtidas mediante solicitação, e serão arquivadas por 5 anos conforme determinação da CVM.

O analista responsável pela elaboração deste relatório declara, nos termos da Instrução CVM nº 598/18, que as recomendações do relatório de análise refletem única e exclusivamente a sua opinião pessoal e foram elaboradas de forma independente.

O analista Daniel Isaac Nigri CNPI é o responsável principal pelo conteúdo do relatório e pelo cumprimento da Instrução ICVM 598.