Resultados de JSL do 4T18

0
365
jsl

Resultados de JSL do 4T18

JLS (código Bovespa: JSLG3)

RESUMÃO – Resultados 4T18:

(Data de divulgação: 11/Março/2019)

(Dados retirados do site de RI)

 

– Estratégia da Empresa:

A estratégia da JSL está baseada em um modelo de negócio equilibrado, fundamentado no “Entender para Atender”, que combina a diversificação de serviços e a penetração em diversos segmentos da economia nacional.Esse resultado de 2018 é consequência de toda a restruturação feita ao longo dos últimos 3 anos, que começa a refletir positivamente na rentabilidade das suas empresas. Em 2018, a JSL concluiu a reorganização das unidades de negócios existentes em cinco empresas independentes com governança própria, líderes focados e com maior autonomia. Essa estrutura permite a preservação das sinergias do grupo. Suas empresas atuam em setores de grande potencial de crescimento, em posição de liderança ou destaque dentro dos seus segmentos.  

– Composição Acionária:

JSL

 

– Destaques Operacionais e Financeiros

– Receita Líquida:

A Receita Líquida Consolidada do grupo JSL foi de R$8,1 bilhões em 2018, um aumento de 12,3% em relação a 2017. A JSL segue bem posicionada em setores de grande potencial de crescimento e de baixa concentração, que oferecem oportunidades de ampliação e diversificação dos negócios junto a uma extensa base de clientes e setores da economia. resultados-de-jsl-03    

– Lucro Líquido:

A JSL Consolidada apresentou um Lucro Líquido recorde de R$189 milhões em 2018 sendo11x superior ao resultado de 2017 (R$16,7 milhões) e R$60,6 milhões no 4T18. A expansão dos resultados foi sustentada pela melhoria do desempenho de todas as suas empresas, com o aumento das margens operacionais da Logística, evolução operacional na Movida e consistência de retornos aliada às oportunidades de crescimento na VAMOS. JSL    

– Investimentos:

O investimento bruto da JSL Consolidada foi de R$3,7 bilhões, sendo R$1,8 bilhão em expansão e R$1,9 bilhão em renovação. Já o investimento líquido da venda de ativos totalizou R$2,0 bilhões, 90% deste com foco em expansão, que se dividiu entre: Movida (R$1,0 bilhão), CS Brasil (R$398 milhões), VAMOS (R$381 milhões) e JSL Logística (R$161 milhões). A maioria destes investimentos foi direcionada para contratos na gestão e terceirização de frotas de pesados na VAMOS, e de leves na Movida e na CS Brasil. Os benefícios desses investimentos, tanto no crescimento da receita quanto na melhoria de margem e geração de caixa, ainda não foram plenos em 2018.  

– Endividamento:

JSL destacou sua gestão de passivos e a reestruturação do perfil da sua dívida, com a captação de R$4,2 bilhões em 2018 incluindo a reabertura do programa de Bonds com captação de US$300 milhões, com prazo de 7 anos, alongando o perfil da dívida líquida e diversificando a base de captação. A dívida líquida em relação ao EBITDA totalizou 4,2x no final do ano, caindo em relação ao índice de 4,4x verificado no final de 2017. A desalavancagem na comparação anual é principalmente explicada pelo incremento do EBITDA em R$367,3 milhões, em linha com a melhoria operacional e crescimento de todas as empresas do grupo. JSL    

– Destaques das empresas do grupo JSL:

 

– JSL Logística e a CS Brasil:

A JSL Logística e a CS Brasil apresentaram juntas uma Receita Líquida de R$4,0 bilhões, um crescimento de 6,1% em relação a 2017, assim como um EBITDA de R$635 milhões, 11,9% maior comparado a 2017.  

– VAMOS:

A VAMOS foi criada em setembro de 2015 no início da reorganização empresarial do grupo, com o objetivo de centralizar todas as atividades de locação de longo prazo e comercialização de caminhões, máquinas e equipamentos (sem operador) da JSL, que operava nesse segmento há mais de 20 anos. A VAMOS oferece contratos de manutenção além da locação. Ao final do ciclo do contrato, a VAMOS atua na venda dos ativos através da rede de concessionárias autorizadas de caminhões e ônibus da Volkswagen/MAN com 14 lojas, da rede de 15 lojas Valtra de máquinas e equipamentos agrícolas e 11 lojas de seminovos. Em 2018, a VAMOS apresentou uma Receita Líquida Consolidada de R$983,3 milhões, crescimento de 45,7% na comparação com 2017, sendo R$493,7 milhões em locações (+30,1%) e R$389,7 milhões em concessionárias (+69,9%). A empresa registrou EBITDA de R$452,2 milhões e um retorno sobre patrimônio líquido de 17,2%, fruto dos contratos de locação de ativos de longo prazo (83% da sua receita é proveniente de contratos com prazos iguais ou superiores a 5 anos).    

– Movida:

A Movida apresentou o sexto trimestre de evolução consecutiva em seus números. Em 2018, a Movida obteve recordes de EBITDA e Lucro Líquido, totalizando R$481,7 milhões (+47,6% em relação a 2017) e R$159,8 milhões (+143% em relação a 2017), respectivamente. A evolução nos resultados trouxe um aumento do retorno em 5,1p.p., medido pela diferença entre ROIC (10,7%) e custo da dívida na comparação anual. JSL    

– Original Concessionárias:

A Original Concessionárias registrou em 2018 um Receita Líquida de R$702,5 milhões, crescimento de 17,5% frente a 2017 e um lucro de R$9,4 milhões. JSL JSL    

Conclusão sobre os resultados de JSL do 4T18:

A JSL é uma empresa controlada pela família Simões hoje em dia, principalmente por Fernando Antônio Simões que tem pouco mais de 50% das ações da SIMPAR, além de 10% de ações em sua pessoa física. A grande questão é que a JSL já foi citada em vários esquemas de corrupção e aparece em algumas planilhas de pagamento de propina desde 1998. Com relação ao grupo e a reestruturação da companhia, sem dúvida que a companhia fez um movimento tanto operacional quanto financeiro muito interessante com a melhora de margens e operacional de todas as suas companhias. Em 2017 a Movida abriu capital na Bolsa de Valores, e após um início claudicante, finalmente tem conseguido um bom crescimento. O foco da companhia agora é abrir o capital da VAMOS, que nada mais é que uma empresa de locação de caminhões, muitos no mercado dizem que é a “MOVIDA de caminhões”. A vantagem da VAMOS são os contratos longos e a facilidade para Venda de Ativos usados. Além disso, o ciclo financeiro do caminhão é maior que o ciclo do carro que é usado para locação que muitas vezes em 12 a 18 meses já é realizada a renovação de frotas.

Relatório

Em Setembro/2018, na Área de membros, eu escrevi um relatório sobre JSL, clique aqui, em que eu citei que eu gostava da Companhia, mas o grande endividamento frente ao valor patrimonial, e frente ao Ebitda me assustavam. Para quem estuda anti-fragilidade sabe que uma dívida alta é uma postura frágil, porque deixa a empresa em uma situação que ela não pode errar e muito exposta a crises e choques pontuais. Uma situação de risco muito grande, ainda mais se compararmos com outras empresas de logística como Tegma que possui resultados muito mais constantes. A companhia cita em diversos trechos do resultado que a melhora trazida pela reestruturação ainda não foi completamente sentida no ano de 2018, portanto tudo leva a crer que haverá novo aumento de Receita, de Ebitda e de lucro líquido para 2019, principalmente na Vamos, para que a abertura de capital seja bem sucedida.  

IPO da VAMOS

Com relação, ao IPO da Vamos, eu lembro que a Movida teve sua abertura de capital na faixa de preços entre R$ 11,00 e R$ 14,00 vista com desinteresse pelo mercado. O processo de book-building aceitou pagar R$ 8,50 por ação, e a companhia aceitou realizar a abertura mesmo com preço 23% inferior ao limite mínimo da faixa de preços, diferente da postura que vimos de outras companhias recentes, como o BMG, a Blau Farmaceutica, Ri-Happy e a TIVIT, apenas para citar algumas que preferiram desistir a abrir capital por uma valor menor. Hoje, o ROIC (Retorno sobre o Capital Investido – normalmente Ebit / Patrimonio Líquido + Dívidas) da companhia consolidado é de 9%, o custo de capital da dívida líquida é de 10,1%, ou seja, o aumento de dívida tem sido prejudicial para os resultados líquidos dos acionistas. Apenas para exemplificar, em 2018 a companhia JSL teve lucro Operacional (EBIT) de R$ 960 milhões, destes a companhia gastou R$ 687 milhões com resultado financeiro negativo devido a uma dívida líquida média em torno de R$ 6,7 bilhões durante o ano. O Lucro Líquido dos acionistas foi de R$ 189 milhões e deve ter um bom incremento neste ano de 2019, mas as premissas para cálculo de preço justo serão calculadas em separado apenas para Membros Gold. Você que é Membro Gold, pode acessar o preço justo deste relatório na aba Resultado de Empresas.  

Está com dificuldade de achar oportunidades?

Quer receber recomendações sobre as melhores ações da Bolsa? Relatórios e Vídeos semanais de análise de empresas. Clique aqui e vire um Membro Gold (pagando menos de R$1,25 por dia!)

Veja a tabela abaixo com todos os benefícios:

Membro Bronze Carteira Z Membro Gold
Carteira PEG  Não Sim Sim
Carteira Barganhas Sim Sim Sim
Carteira P/L abaixo da Média Sim Sim Sim
Carteira Dividendos Não Sim Sim
Carteira Graham Não Sim Sim
Carteira de Greenblatt Não Sim Sim
Carteira P/VP x ROE Não Sim Sim
Carteira Z (fundos de Investimentos) Não Sim Sim
Carteira Dica de Hoje Não Não Sim
Dados de empresa Sim Sim Sim
Relatórios Dica de Hoje (ações + Fiis) Não Não Sim
Resultados de Empresas com cálculo de preço justo Não Não Sim
Panorama de Ações Sim Sim Sim
Radar de FIIs Não Não Sim
Vídeos Dica de Hoje Não Não Sim
Hangouts Não Não Sim
Descontos em Cursos Não Não Sim
Clique Gratuito R$ 239,90 anual R$ 447,00 anual

*As carteiras Membro Bronze podem ser modificadas sem aviso prévio, a qualquer momento. Confira os resultados de Porto Seguro do 4T18.

Para informações sobre o Curso de opções Dica de Hoje, clique aqui.

Abraços e Bons Investimentos!

Daniel Nigri (analista CNPI)

Com a ajuda de Leo Bittencourt

 

Disclosure

Elaborado pelo analista independente Daniel Isaac Nigri CNPI 1810, este relatório é de uso exclusivo de seu destinatário.

Este estudo é baseado em informações disponíveis ao público nos próprios sites de RI das empresas analisadas ou comparadas, consideradas confiáveis na data de publicação.

As opiniões, aqui expressas, estão sujeitas a mudanças, por se tratarem de estimativas baseadas em fundamentos e projeções de futuro que podem ou não ocorrer.

Este relatório não representa oferta de negociação de valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros.

As análises, informações e estratégias de investimento têm como único propósito fomentar o debate entre o analista responsável e os destinatários.

Sugestão aos destinatários

Os destinatários devem, portanto, desenvolver as próprias análises e estratégias. (Caminhar com as próprias pernas e ter bom senso)

Informações adicionais sobre quaisquer sociedades, valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros aqui abordados podem ser obtidas mediante solicitação, e serão arquivadas por 5 anos conforme determinação da CVM.

O analista responsável pela elaboração deste relatório declara, nos termos do artigo 17º da Instrução CVM nº 483/10, que as recomendações do relatório de análise refletem única e exclusivamente a sua opinião pessoal e foram elaboradas de forma independente.

O analista Daniel Isaac Nigri CNPI é o responsável principal pelo conteúdo do relatório e pelo cumprimento do disposto no Art. 16, parágrafo único da Instrução ICVM 483/10.