Entendendo a Gestão do Negócio

0
290
gestao-do-negocio-square

gestao-do-negocio-capa

Entendendo a Gestão do Negócio

Apesar da busca constante por sabedoria e conhecimento, somos na maioria um tanto precários quanto se trata de conhecer algo de maneira profunda, estudar algo até esgotar as possibilidades, preferimos a triste ilusão de que sabemos o que precisamos e o restante pode ser apenas imaginado. Parto do princípio que todo o conhecimento que acumulamos tem que servir para alguma coisa, mas definitivamente não acredito que ele deve ser escondido e sim ampliado, divulgado e compartilhado.

Opiniões diferentes são fundamentais para um bom debate, mas para isso é preciso que as pessoas tenham opinião própria o que não acontece em alguns casos, para algumas pessoas é mais prático ouvir um “guru” e acreditar naquilo que esta sendo falado do que ouvir e comparar com outras fontes, analisar as informações e utilizar o seu próprio conhecimento sobre o assunto.

Quando o investidor lê o material de uma empresa, um release sobre resultados, ou um relatório falando sobre um novo projeto ele é convidado a entrar no negócio, a conhecê-lo melhor e participar do que está acontecendo, isso é uma atividade comum para quem participa do mercado. O que não é tão comum quanto deveria é o investidor compreender que muitas vezes o que está escrito exige uma interpretação mais ampla e menos “enfeitada” da realidade.

gestao-do-negocio-01

 

As estratégias de um negócio bem gerenciado são vistas de longe, isso porque uma boa gestão sabe que o mercado e os clientes estão em constante movimento e que precisam se adaptar a realidade atual e ao futuro, a estratégia de um negócio de sucesso obrigatoriamente deve contemplar a inovação, as necessidades dos clientes.

No papel a meta das organizações são sempre muito parecidas, as mais comuns são:

  • Diminuir os custos, aumentar as vendas,
  • Eliminar as causas das perdas que pressionam as margens
  • Produzir sempre como o foco no objetivo maior: a satisfação do cliente, só assim o lucro aumenta de forma recorrente.

Para que isso não fique só no papel é preciso gerenciar os processos de maneira eficaz e isso requer planejamento e ação na mesma medida. Todas as partes envolvidas precisam estar integradas e conscientes das necessidades,  metas, objetivos do processo e do negócio, afinal orientar um negócio para o crescimento exige um desenvolvimento da política interna,gerenciamento das prioridades, uma estrutura adequada e viável além de conhecer os riscos e reconhecer as oportunidades.

 

Quer ter acesso a nossas carteiras de Ações?

Insira o seu endereço de email abaixo para receber gratuitamente e conheça as carteiras da Área de Membros!

 

Perguntas Importantes

Isso significa analisar o negócio de fora para dentro, identificar as rápidas mudanças no mercado consumidor e fazer algo a respeito, ou seja, padronizar para aumentar o nível de produtividade aliada a qualidade, buscando a tecnologia adequada e fazendo sempre perguntas chave, que devem ser feitas também pelo investidor quando leem os resultados, as apresentações de novos projetos, ou qualquer nova estratégia que influencie o negócio. São elas:

  • Estou administrando bem os recursos?
  • A gestão sabe o que precisa ser feito, como deve ser feito e qual a prioridade?
  • As estratégias estão definidas de maneira clara e eficaz?
  • Qual a real importância e necessidade das informações que constam nos relatórios? Elas são utilizadas? São úteis?
  • Existem estratégias traçadas em relação aos objetivos e a política da empresa?
  • Quais os pontos vulneráveis, eles estão sendo monitorados e melhorados?
  • Como está sendo conduzido o processo que efetivamente gera o valor?
  • Existe planejamento de longo prazo para o negócio? Focados em oportunidades ou apenas focados no que já existe hoje?
  • A empresa é administrada “de dentro para fora” ou “de fora para dentro”?
  • A expansão do negócio acontece por exploração de oportunidades e inovação ou pela falta de concorrência?
  • As mudanças que ocorrem na organização tem um foco? Qual?
  • Existem prioridades definidas? Qual o andamento delas? Estão documentadas?
  • A empresa acredita que pode fazer tudo “bem”, por isso não terceiriza nenhum serviço, mesmo sabendo que o “bem” deveria na verdade ser excelente?
  • Qual a capacidade da gestão em entender e enfrentar a realidade do negócio com clareza, estratégia, foco e competência na ação;
  • Os indicadores de desempenho dos processos são usados para que efetivamente? O que eles estão medindo? Os resultados estão de acordo com o planejado?

 

Imaginando que nossa empresa tenha poucos recursos, qual o primeiro cuidado que precisamos tomar?

  • É preciso verificar de que maneira esses recursos estão sendo alocado?
  • Qual é o meu plano para retorno dos investimentos?
  • Consigo negociar com meus fornecedores?
  • Tenho novos contratos de venda que permitem uma projeção em médio prazo?
  • Existem novos projetos para inovar meu negócio?
  • O que eu conheço sobre os custos da minha produção?
  • Onde estão os maiores custos? São justificáveis? Estão organizados e atribuídos ao processo correto?
  • O que podemos fazer existe um planejamento para melhorias e redução dos custos?

 

gestao-do-negocio-02

 

Concluindo

Eu poderia citar muitas outras perguntas para compreender a forma como a gestão trabalha, mas o importante é a conscientização da necessidade de questionar para descobrir e identificar se aquele investimento é um bom investimento no momento.

Empresas boas atravessam momentos difíceis, mas quando existe fundamento as repostas das perguntas citadas acima ficam claras nos resultados e explicações da empresa através dos releases e webcasts.

É importante compreender que escrever objetivos bonitos, com palavras bem colocadas e criativas não é definitivamente o mais importante. Preste atenção no que a empresa precisa de verdade, analise os dados, os números, sua imagem no mercado, a aceitação dos seus produtos, verifique a produtividade dos seus processos.

O investidor deve estudar e pesquisar para pensar estrategicamente e com mais precisão, isso requer conhecimento da dinâmica do todo, do sistema, das integrações, mas é preciso reconhecer que qualquer análise do “todo” tem limitações, precisamos aceitar que nem tudo pode ser previsto, mas podemos nos prevenir, isso é ter conhecimento da própria ignorância, assim às chances de ser “pego de surpresa” serão sempre menores.

E lembrar sempre que compreender a natureza do risco é mais importante do que simplesmente reagir a ele, isso porque se você conhece ou faz às regras do jogo as probabilidades serão calculadas de maneira mais precisa, mas cuidado riscos e incertezas não são a mesma coisa.

Mais importante que receber dicas e recomendações de bons investimentos é aprender a pensar por si só. Por isso eu prezo tanto por mostrar o risco de cada investimento para o investidor, nos vídeos e relatórios da Área de Membros.

 

Seja já um membro Gold no plano anual com preço promocional, clique aqui.

 

E cuidado com “ações da moda”.

 

Abraços e bons investimentos

Patricia Rossari