Preço das Ações Caiu/Subiu?

preço das ações

Preço das Ações Caiu/Subiu?

Exemplos de como os fatos provocam a volatilidade no Ativo

Em nossa jornada no mundo dos investimentos nós aprendemos lições, a principal é que o mercado se movimenta pela força da “massa” ou “manada” em curto prazo. O preço/cotação reflete notícias e suas interpretações o que por sua vez gera grupos histéricos que compram no topo e vendem no fundo, afinal vendedores e compradores são influenciados psicologicamente de maneira diferente.

O mercado financeiro tem como base a oferta e a procura, a oscilação da cotação do ativo é um reflexo do movimento dos investidores, e mesmo não sendo racional gera força. O preço/cotação de um ativo é instável, ele oscila pelas operações entre vendedores e compradores, um querendo vender o mais “caro” possível e o outro tentando comprar o mais “barato” possível, ou seja, oscila com base no comportamento da massa, a operação só ocorre quando um dos dois está disposto, por motivos diferentes, a ceder.

Ou seja, oscilações são normais e até não ocorrer à perda completa dos fundamentos a volatilidade é fruto da dinâmica do sistema.

Dinâmica do Sistema

preço das ações

Já falamos aqui sobre a teoria de Hyman Minsky que demonstra a relação entre investimento e poupança, vamos relembrar os estágios:

  • Mudança: um exemplo disso é quando a taxa de juros esta em queda e a inflação sob controle, ou quando a empresa apresenta uma mudança substancial em sua gestão/mercado. (VALE3 com o desinvestimento, PETR4 com nova política de preços)
  • Apogeu: quando existe a expectativa de lucro crescente em percentuais elevados, precificação ocorre nesse estágio. ( ocorreu com UGPA, RADL)
  • Euforia: quando todos começam a comprar o ativo (Bitcoin? OGX? PETR em seus tempos áureos, BRFS em 2014/2015) porque as projeções são de lucros em crescimento infinitos, paradigmas serão quebrados, rodas serão inventadas.
  • Realização dos lucros: iniciam as vendas dos investidores que percebem a lógica da precificação exagerada, esse movimento altera o viés dando inicio a reversão.
  • Pânico: aqui entra em cena a irracionalidade do investidor nas crises, quando ele percebe que a cotação não vai “subir para sempre”, e então o desespero surge e começa a venda descontrolada e com isso o ativo perde em semanas muito valor de mercado, muitos investidores vendem mesmo sem analisar fundamentos, apenas pelo pânico instaurado pela força da multidão.

Exemplos de Fatos/Projeções que Provocam Volatilidade

preço das ações

Para demonstrar essa relação entre preço no curto prazo e fatos/notícias bem como suas interpretações vamos usar alguns exemplos de ativos:

  1. Krot3 – Kroton: empresa do segmento educacional que tentou ampliar adquirindo outra empresa e foi barrada pelo CADE, logo vendo que não existia mais possibilidade de crescer dentro daquele mercado (já é a maior do setor) ela decide então adquirir/investir na educação básica. Para isso ocorrer ela gera dívida e com isso compromete a geração de caixa livre, ou seja, próximos resultados serão impactados por essa decisão até que esse novo negócio apresente resultado (famosos fluxos de retorno do projeto).

O mercado é imediatista, então se uma empresa contrai uma dívida, os próximos resultados serão impactados por essa alavancagem e a cotação cairá, lembrem que a kroton chegou a negociar pelo PL 20x, ou seja, preço estava acima e sabemos o cuidado necessário ao avaliar empresas com múltiplos muito elevados, já em 2015/2016 na recessão econômica a cotação dela caiu abaixo de R$10,00, no ano passado a divulgou resultado positivo e o preço voltou a subir, chegando a R$ 21,5 e nesse ano caiu a R$ 9,00. Atualmente negocia um PL 9x. Inclusive falamos sobre isso, na avaliação dos resultados de Kroton do 1T2018, clique aqui.

 

  1. VVAR11 – Via Varejo: em relação a suas concorrentes a queda na cotação chega a ser mais de 30% nos últimos meses, isso quer dizer que o mercado está enviando alguma mensagem? Que ela esta descontada? Não necessariamente, isso porque a receita cresceu muito pouco se comparada aos pares (principalmente na mina de ouro da vez, que é a venda on-line), apresentando um ROE muito baixo e um PL de 34x e uma dívida considerável.

 

  1. WEGE3 – WEG: maior receita da história nesse trimestre, então porque o preço não subiu? Porque não é crescimento em escala, ainda é pontual, os projetos de energia solar que foram realizados no ano passado e a receita reconhecida nesse semestre tem margens menores, ou seja, ROE atraente mas margem reduzida. A geração de caixa operacional foi de 150 milhões com um capital de giro ainda fraco, então o mercado não vê motivos para valorizar antes que os resultados dos projetos longos de fato aparecem no balanço. Quando eles aparecerem o preço do ativo sobe.

 

  1. ABEV3 – mercado não está preocupado com a possível concorrência mais acirrada na Heineken e a possível estruturação de uma rede própria de distribuição o que pode resultar em perda de mercado de até 1pp, além de um crescimento na receita fraco em relação aos custos e despesas mesmo com aumento de preço ao consumidor final. Além de não ter refletido nada sobre a perda das cadeiras e do poder de veto dos ex-acionistas controladores da Antártica caindo às restrições de venda das ações por parte dos controladores. AmBev tem PL de 36x, com um ROE de 15%. Você estaria preocupado?

 

Aqui temos um exemplo perfeito da importância de reconhecer os momentos do negócio, ela teve um crescimento muito grande nos últimos anos (início de 2000), e ocorreu o que ocorre com todos os negócios que crescem muito, em um determinado momento estabiliza, chega à maturidade, afinal não é possível crescer no mesmo ritmo eternamente, e isso é uma demonstração de que empresas em momentos diferentes requerem estratégias diferentes.  Será que podemos comparar aquele forte crescimento com o que a Magazine Luiza (Mglu3) está experimentando hoje?

 

  1. ITUB3, BBDC3, SANB11 – Bancos: Itaú e Bradesco tiveram queda na cotação após os resultados porque os mesmos vieram abaixo do que o mercado esperava, mesmo sendo lucros substanciais. Mas isso é reflexo das carteiras de crédito que não cresceram como o projetado, isso é resultado do cenário macro e significa que a recuperação da economia pode ser mais lenta do que o estimado. Já SANB teve uma expansão na carteira de crédito de pessoa física e manteve o esperado pelo mercado, logo o preço se manteve, mesmo sem consideração nenhuma ao fato de que quanto maior carteira de varejo maior a inadimplência, e que as captações são a taxas flutuantes, ou seja, quanto maior a selic maior a probabilidade de essa rentabilidade diminuir. Inclusive temos um artigo, com o resumo de Bradesco neste segundo trimestre de 2018, clique aqui.

 

  1. Vale3 – Vale: margem bruta recua devido a custos mais elevados o que já sabemos que ocorre com frequência em setores cíclicos, o volume aumenta devido a preços mais atrativos e a variação cambial aumenta resultado devido ao IR, e a geração de caixa continua forte ainda impactada pelos desinvestimentos. O mercado gosta de empresa que gera caixa e diminui dívida porque demonstra comprometimento da gestão com o negócio, ou seja, preço não cai porque o balanço vem com números positivos (diferente de alguns anos atrás em que ela estava na baixa do ciclo, chegando a ser cotada por R$9, xx).

 

Só pra esclarecer essa questão do impacto do câmbio nos resultados, a lógica é que no regime de competência (ano contábil), a variação cambial é reconhecida a cada período, independentemente da liquidação da operação, isso significa que se ocorrer no período uma variação cambial de despesa ela irá reduzir o lucro da empresa e muitas vezes o valor do imposto de renda a ser recolhido. Se a variação cambial for receita irá aumentar o lucro e os  tributos devidos.

Já no regime de caixa (dinheiro que de fato entra e sai da empresa), apenas quando ocorre o encerramento da operação é que será reconhecido o ganho ou a perda cambial de fato.

Como isso afeta a minha renda na bolsa?

preço das ações

Se você for um investidor em longo prazo basta analisar se houve perda de fundamentos, se é de fato necessária alguma ação diante do cenário, se a sua carteira busca gerar renda através dos dividendos (observe que as empresas citadas acima são ou já foram referência em pagamento de dividendos e bonificações) é preciso considerar se os critérios das empresas boas pagadoras de dividendos ainda se sustentam esse continuarão fazendo seu dinheiro render cada vez mais.

Se você tem dúvidas em relação à análise de empresas, fundos imobiliários e títulos do tesouro que podem potencializar sua renda com investimento acesse esse link Geração de Renda Nos Investimentos e receba mais informações sobre nosso Workshop de Geração de Renda com Investimentos. Estratégia em ações que você nunca compra topo, vendo o dinheiro sempre pingando na sua conta e aumentando sempre, anote na sua agenda:

Dias 09 e 13 de Agosto.

Concluindo

Operar renda variável é estar atento para montar posições que estejam alinhadas com as variáveis externas que influenciam o ativo, seja a liberação de uma demonstração financeira da empresa, uma noticia em relação a dados econômicos, um boato sensacionalista e assim por diante. Independente do tipo de operação é importante definir limites e respeitar os riscos inerentes ao negócio, nunca comprometa mais do que pode, não confunda bolsa com loteria tampouco com cassino,

Use seu presente para erguer as paredes para que no futuro exista um telhado que te proteja afinal nossa vida financeira é um reflexo de como vivemos e o resultado dessa dinâmica pode ser um sucesso ou uma vida difícil e sempre na corda bamba.

Quando enxergamos a importância de gerar renda extra é porque percebemos que não estamos dispostos a estar despreparados diante de imprevistos aos quais todos estão sujeitos.

Patricia Rossari e Daniel Nigri