Preço do petróleo está caindo?!?! Por que?

0
565
Preço do petróleo

Preço do petróleo está caindo?!?! Por que?

Fala Pessoal! Bittencourt na área!

Vocês devem estar se perguntando? Por que diabos o preço do barril de Petróleo(“Brent”) está caindo?? Saindo do preço de US$ 86,02 (barril) no dia 4/outubro/2018 para o preço de hoje(13/novembro/2018), na hora que escrevo,cotado a US$ 68,61. Pois bem, existem alguns fatores que vou explicar abaixo que influenciaram esta queda:

preço do petróleo

 

1) Sanções dos EUA contra o Irã:

O mundo todo estava aguardando ansiosamente por esta data, dia 5/novembro/2018, o dia que entrariam em vigor todas as sanções dos EUA contra o Irã. A medida entra em vigor 6 meses depois dos EUA se retirarem do Acordo nuclear com Irã (OBS: Donald Trump acusa o Irã de ser o principal Estado patrocinador do terrorismo e esta saída do acordo era uma de suas promessas de campanha!!). Dentro desta lista de sanções estava um dos pontos mais críticos para o Irã que era a limitação da exportação do seu petróleo. Lembrando que o Irã é um país membro da OPEP (“Organização dos Países Exportadores de Petróleo”) e é um dos maiores exportadores de petróleo no mundo.

preço do petróleo

 

OK! Vamos dar uma pausa por aqui! Alguma coisa não está batendo!? Pela lógica, se reduzirem a oferta de petróleo no mercado, o preço o barril tinha que subir e não cair!!?? Mas foi exatamente isto que aconteceu! Até o mercado ter uma noção clara de como seria o impacto da diminuição do petróleo do Irã no mundo, o preço do barril subiu chegando na casa dos US$ 80(brent). Mas como as coisas no mundo não são tão simples quanto parece, o impacto desta retirada do petróleo iraniano seria tão grande que os EUA abriram algumas exceções e decidiram conceder permissões temporárias (as chamadas “waivers”) para importação de petróleo iraniano à China, Índia, Turquia, Taiwan, Coreia do Sul, Itália, Japão e Grécia.

O Secretário de Estado norte-americano Mike Pompeo afirmou que estes oito países “precisam de mais tempo para zerar (as importações)“. A concessão dos waivers que terão validade de 6 meses, mas ele não descartou a possibilidade de que o governo Trump mantenha esses waivers por mais de seis meses.

Com isso podemos concluir que o impacto da oferta do petróleo no mundo não vai ser tão forte quanto o mercado estava esperando! E somado a isto, ainda tivemos alguns fatores listados abaixo que ajudaram nesta queda de preço.

2) Recorde de produções de petróleo da Arábia Saudita e da Rússia:

A produção de petróleo bruto da OPEP (principalmente da Arábia Saudita) e da Rússia continuou a subir em outubro, batendo recordes históricos, mais do que compensando as perdas registradas no Irã, Venezuela (redução devido a crise no país) e Líbia(redução devido a conflitos internos).

 

3) Nova  subida  dos estoques  de  petróleo  dos  EUA:

Nas últimas semanas, a Agência de Energia dos Estados Unidos vem informando indícios de inchaço nos estoques de petróleo bruto do país, já chegando a quase o triplo do valor previsto pelos analistas.

 

4) Perspectiva  de um  forte aumento  da  produção americana  no  biênio  2018-19:

A produção de petróleo americana vêm apresentando boas perspectivas de aumento para os anos de 2018 e 2019. A produção de “shaleoil” ajudou os EUA a produzir mais de 10 milhões de bpd este ano pela primeira vez desde a década de 1970, colocando o país na posição número um na lista dos 10 principais países produtores de petróleo do mundo.

Conclusão:

Então pessoal podemos concluir que estes 4 fatores apresentados estão influenciando esta queda do preço do barril do petróleo. Mas não pensem que a história acabou por aqui!!!

 

Prevendo esta queda nos preços, os países membros da OPEP já se movimentaram, e na reunião da OPEP que aconteceu no último dia 11/novembro, já sinalizaram que vão concordar com um corte de produção (“vão fechar a torneira!”) quando se reunirem no próximo mês em Viena (Áustria). A Arábia Saudita já havia anunciado que cortaria seu próprio fornecimento de petróleo no mês que vem, e a Rússia sinalizou que poderia fazer o mesmo. A medida tende a encarecer o preço do barril já a partir de dezembro, pois a oferta se reduziria.

 

Mas e o Trump??Ficou quieto??

preço do petróleo

 

Claro que não! No dia seguinte a reunião da OPEP (no dia 12/novembro), mandou a seguinte mensagem em sua conta no Twitter “Espero que a Arábia Saudita e a Opep não cortem a produção de petróleo. Os preços do petróleo deveriam estar muito mais baixos, baseando-se na oferta!”. Depois desta declaração, o preço do barril caiu mais ainda!  Só nos resta esperar o desenrolar desta história! Vamos ficar de olho!

Não deixe de conferir os resultados do 3T18 de Petrobrás clicando aqui.

Até a próxima pessoal,

Leo Bittencourt

petróleo-esta-caindo

Não perca a nossa promoção de Black Friday! Saiba mais clicando aqui.

 

Veja a tabela abaixo com todos os benefícios! Você pode ter acesso a tudo isso de graça por um mês! Clique aqui!

 

Membro Bronze*Carteira ZMembro GoldNãoSimSim

Carteira PEG NãoSimSim
Carteira BarganhasSimSimSim
Carteira P/L abaixo da MédiaSimSimSim
Carteira de DividendosNãoSimSim
Carteira Número de GrahamNãoSimSim
Carteira de Greenblatt          NãoSimSim
Carteira P/VP x ROENãoSimSim
Carteira Z (fundos de Investimentos)
Carteira Dica de HojeNãoNãoSim
Dados de empresaSimSimSim
Relatórios Dica de Hoje (ações + FIIs)NãoNãoSim
Resultados de Empresas com cálculo de preço justoNãoNãoSim
Panorama de açõesSimSimSim
Radar de FIIsNãoNãoSim
Vídeos Dica de HojeNãoNãoSim
HangoutsNãoNãoSim
Descontos em cursosNãoNãoSim
CliqueGratuitoR$ 239,90 anualR$ 447,00 anual

*As carteiras Membro Bronze podem ser modificadas sem aviso prévio, a qualquer momento.

 

 

 

 

 

Artigo anteriorPETR4: Resumo dos Resultados de Petrobras do 3T18
Próximo artigoA Cigarra e a Formiga para investidores
Meu nome é Leo Bittencourt, tenho 37 anos, sou casado e pai de 1 filho. Sou formado em Ciência da Computação pela UFRJ e sou estudioso do setor de Óleo e Gás. Sou apaixonado por praias e pela vida simples do interior, especialmente por Minas Gerais, com suas serras, cafés e comidas artesanais. Como investidor comecei com 22 anos, comprando meus primeiros "pequenos" imóveis na cidade do Rio de Janeiro. De lá pra cá, me aventurei em alguns empreendimentos e entrei no Mercado de Ações em 2010 comprando minhas primeiras ações. Hoje a minha missão é ajudar pessoas levando maiores informações possíveis sobre investimentos, mercados e empresas!