Preço do petróleo está caindo?!?! Por que?

0
711
Preço do petróleo

Preço do petróleo está caindo?!?! Por que?

Fala Pessoal! Bittencourt na área!

Vocês devem estar se perguntando? Por que diabos o preço do barril de Petróleo(“Brent”) está caindo?? Saindo do preço de US$ 86,02 (barril) no dia 4/outubro/2018 para o preço de hoje(13/novembro/2018), na hora que escrevo,cotado a US$ 68,61. Pois bem, existem alguns fatores que vou explicar abaixo que influenciaram esta queda:

preço do petróleo

 

1) Sanções dos EUA contra o Irã:

O mundo todo estava aguardando ansiosamente por esta data, dia 5/novembro/2018, o dia que entrariam em vigor todas as sanções dos EUA contra o Irã. A medida entra em vigor 6 meses depois dos EUA se retirarem do Acordo nuclear com Irã (OBS: Donald Trump acusa o Irã de ser o principal Estado patrocinador do terrorismo e esta saída do acordo era uma de suas promessas de campanha!!). Dentro desta lista de sanções estava um dos pontos mais críticos para o Irã que era a limitação da exportação do seu petróleo. Lembrando que o Irã é um país membro da OPEP (“Organização dos Países Exportadores de Petróleo”) e é um dos maiores exportadores de petróleo no mundo.

preço do petróleo

 

OK! Vamos dar uma pausa por aqui! Alguma coisa não está batendo!? Pela lógica, se reduzirem a oferta de petróleo no mercado, o preço o barril tinha que subir e não cair!!?? Mas foi exatamente isto que aconteceu! Até o mercado ter uma noção clara de como seria o impacto da diminuição do petróleo do Irã no mundo, o preço do barril subiu chegando na casa dos US$ 80(brent). Mas como as coisas no mundo não são tão simples quanto parece, o impacto desta retirada do petróleo iraniano seria tão grande que os EUA abriram algumas exceções e decidiram conceder permissões temporárias (as chamadas “waivers”) para importação de petróleo iraniano à China, Índia, Turquia, Taiwan, Coreia do Sul, Itália, Japão e Grécia.

O Secretário de Estado norte-americano Mike Pompeo afirmou que estes oito países “precisam de mais tempo para zerar (as importações)“. A concessão dos waivers que terão validade de 6 meses, mas ele não descartou a possibilidade de que o governo Trump mantenha esses waivers por mais de seis meses.

Com isso podemos concluir que o impacto da oferta do petróleo no mundo não vai ser tão forte quanto o mercado estava esperando! E somado a isto, ainda tivemos alguns fatores listados abaixo que ajudaram nesta queda de preço.

2) Recorde de produções de petróleo da Arábia Saudita e da Rússia:

A produção de petróleo bruto da OPEP (principalmente da Arábia Saudita) e da Rússia continuou a subir em outubro, batendo recordes históricos, mais do que compensando as perdas registradas no Irã, Venezuela (redução devido a crise no país) e Líbia(redução devido a conflitos internos).

 

3) Nova  subida  dos estoques  de  petróleo  dos  EUA:

Nas últimas semanas, a Agência de Energia dos Estados Unidos vem informando indícios de inchaço nos estoques de petróleo bruto do país, já chegando a quase o triplo do valor previsto pelos analistas.

 

4) Perspectiva  de um  forte aumento  da  produção americana  no  biênio  2018-19:

A produção de petróleo americana vêm apresentando boas perspectivas de aumento para os anos de 2018 e 2019. A produção de “shaleoil” ajudou os EUA a produzir mais de 10 milhões de bpd este ano pela primeira vez desde a década de 1970, colocando o país na posição número um na lista dos 10 principais países produtores de petróleo do mundo.

Conclusão:

Então pessoal podemos concluir que estes 4 fatores apresentados estão influenciando esta queda do preço do barril do petróleo. Mas não pensem que a história acabou por aqui!!!

 

Prevendo esta queda nos preços, os países membros da OPEP já se movimentaram, e na reunião da OPEP que aconteceu no último dia 11/novembro, já sinalizaram que vão concordar com um corte de produção (“vão fechar a torneira!”) quando se reunirem no próximo mês em Viena (Áustria). A Arábia Saudita já havia anunciado que cortaria seu próprio fornecimento de petróleo no mês que vem, e a Rússia sinalizou que poderia fazer o mesmo. A medida tende a encarecer o preço do barril já a partir de dezembro, pois a oferta se reduziria.

 

Mas e o Trump??Ficou quieto??

preço do petróleo

 

Claro que não! No dia seguinte a reunião da OPEP (no dia 12/novembro), mandou a seguinte mensagem em sua conta no Twitter “Espero que a Arábia Saudita e a Opep não cortem a produção de petróleo. Os preços do petróleo deveriam estar muito mais baixos, baseando-se na oferta!”. Depois desta declaração, o preço do barril caiu mais ainda!  Só nos resta esperar o desenrolar desta história! Vamos ficar de olho!

Não deixe de conferir os resultados do 3T18 de Petrobrás clicando aqui.

Até a próxima pessoal,

Leo Bittencourt

petróleo-esta-caindo

Não perca a nossa promoção de Black Friday! Saiba mais clicando aqui.

 

Veja a tabela abaixo com todos os benefícios! Você pode ter acesso a tudo isso de graça por um mês! Clique aqui!

 

Membro Bronze*Carteira ZMembro GoldNãoSimSim

Carteira PEG  Não Sim Sim
Carteira Barganhas Sim Sim Sim
Carteira P/L abaixo da Média Sim Sim Sim
Carteira de Dividendos Não Sim Sim
Carteira Número de Graham Não Sim Sim
Carteira de Greenblatt          Não Sim Sim
Carteira P/VP x ROE Não Sim Sim
Carteira Z (fundos de Investimentos)
Carteira Dica de Hoje Não Não Sim
Dados de empresa Sim Sim Sim
Relatórios Dica de Hoje (ações + FIIs) Não Não Sim
Resultados de Empresas com cálculo de preço justo Não Não Sim
Panorama de ações Sim Sim Sim
Radar de FIIs Não Não Sim
Vídeos Dica de Hoje Não Não Sim
Hangouts Não Não Sim
Descontos em cursos Não Não Sim
Clique Gratuito R$ 239,90 anual R$ 447,00 anual

*As carteiras Membro Bronze podem ser modificadas sem aviso prévio, a qualquer momento.

 

 

 

 

 

Artigo anteriorPETR4: Resumo dos Resultados de Petrobras do 3T18
Próximo artigoA Cigarra e a Formiga para investidores
Meu nome é Leo Bittencourt, tenho 37 anos, sou casado e pai de 1 filho. Sou formado em Ciência da Computação pela UFRJ e sou estudioso do setor de Óleo e Gás. Sou apaixonado por praias e pela vida simples do interior, especialmente por Minas Gerais, com suas serras, cafés e comidas artesanais. Como investidor comecei com 22 anos, comprando meus primeiros "pequenos" imóveis na cidade do Rio de Janeiro. De lá pra cá, me aventurei em alguns empreendimentos e entrei no Mercado de Ações em 2010 comprando minhas primeiras ações. Hoje a minha missão é ajudar pessoas levando maiores informações possíveis sobre investimentos, mercados e empresas!