Resultados de Vale do 1T19

0
4958
vale-resultado

Resultados de Vale do 1T19

Vale (código Bovespa: VALE3)

RESUMÃO – Resultados 1T19:

(Data de divulgação: 09/Maio/2019)

(Dados retirados do site de RI)

 

Estratégia da Empresa:

Após 3 meses da tragédia de Brumadinho(MG), a Vale continua completamente focada nos esforços para garantir a segurança das pessoas e a integridade de seus ativos, atendendo às necessidades dos afetados e mitigando os danos. A Vale acredita que este enfoque nas pessoas e na segurança impulsionará sua excelência operacional e fortalecerá sua licença para operar, garantindo resultados sustentáveis através do fornecimento de portfólio de produtos de alta qualidade.  

 Composição Acionária:

vale-resultado

Destaques Operacionais e Financeiros:

 

– Produção:

No 1T19 a produção de finos de minério de ferro da Vale totalizou 72,8Mt, ficando 28% e 11% menor do que no 4T18 e 1T18, respectivamente, principalmente em função dos impactos decorrentes da ruptura da barragem de Brumadinho e da sazonalidade climática mais forte do que o normal. É importante destacarmos que o Sistema Norte, composto por Carajás e S11D, produziu 41,0 Mt no 1T19, ficando 11,9 Mt abaixo do 4T18 e em linha com o 1T18, já que chuvas anormais no porto de Ponta da Madeira (Maranhão), em março, aumentaram o efeito da sazonalidade climática. No entanto, isso foi parcialmente compensado pelo bem-sucedido ramp-up do S11D. vale-resultado

 

A produção de pelotas totalizou 12,2 Mt no 1T19, ficando 23% e 5% menor do que no 4T18 e 1T18, respectivamente, devido principalmente às paradas nas usinas de pelotização, após a ruptura da barragem de Brumadinho, bem como às manutenções programadas em Tubarão e Omã. vale-resultado  

 – Vendas:

O volume de vendas de finos e pelotas de minério de ferro atingiu de 67,7 Mt no 1T19, ficando 30% e 20% menor do que no 4T18 e 1T18, respectivamente. A redução em relação ao 4T18 foi decorrente dos seguintes efeitos: (a) sazonalidade usual (14 Mt); (b) impacto de paradas de produção após a ruptura da barragem de Brumadinho (7 Mt); (c) novos procedimentos de gerenciamento de estoque nos portos chineses, que impactaram o tempo de reconhecimento da receita de vendas (6 Mt); (d) chuvas anormais impactando os embarques do porto de Ponta da Madeira, no Sistema Norte (5 Mt); os quais foram parcialmente compensados pela utilização de estoques nos portos chineses no 1T19 (3 Mt).  

A participação dos produtos Premium nas vendas totais foi de 81% no 1T19, ficando praticamente em linha com o 4T18. Os prêmios de qualidade de finos de minério de ferro e pelotas alcançaram US$10,7/t3 no 1T19 contra US$ 11,5/t no 4T18, principalmente devido aos menores prêmios de mercado para os finos de Carajás, que foram parcialmente compensados pelo impacto positivo dos novos termos para os contratos de vendas de pelotas.

vale-resultado  

 

– Receita Operacional Líquida:

A receita operacional líquida totalizou US$ 6,3 bilhões no 1T19, o que representa uma redução de -17% em comparação com o 4T18 e redução de -2,8% em comparação com 1T18. Com destaque positivo para “Pelotas” que teve um aumento de receita em dólar de 5,6% em relação a1T18. vale-resultado

 

Quer ter acesso a nossas carteiras de Ações?

Insira o seu endereço de email abaixo para receber gratuitamente e conheça as carteiras da Área de Membros!

 

 

– EBITDA Ajustado:

Os impactos financeiros da ruptura da barragem de Brumadinho levaram ao primeiro EBITDA negativo da Vale em sua história, negativo de US$ 652 milhões, no 1T19. O impacto financeiro do desastre no EBITDA do 1T19 foi de US$ 4,954 bilhões devido a:

  • provisões para os programas e acordos de compensação / remediação (US$ 2,423 bilhões);
  • provisão para descomissionamento ou descaracterização de barragens de rejeito (US$ 1,855 bilhão);
  • despesas incorridas diretamente relacionadas a Brumadinho (US$ 104 milhões);
  • volumes perdidos (US$ 290 milhões);
  • despesas de parada (US$ 160 milhões);
  • outros (US$ 122 milhões).

vale-resultado

 

O EBITDA Ajustado também foi impactado: pela forte estação chuvosa de verão de 2019, que afetou as operações no Terminal Marítimo de Ponta da Madeira(Maranhão), no Sistema Norte, e aumentou o impacto da usual sazonalidade climática (US$ 766 milhões); pela mudança no gerenciamento de estoques de minério de ferro nos portos chineses, o que causou um efeito pontual no momento do reconhecimento da receita (US$ 249 milhões). Esses efeitos negativos foram parcialmente compensados pelos maiores preços realizados (US$ 951 milhões). vale-resultado vale-resultado  

– Lucro Líquido:

No 1T19, a Vale registrou um prejuízo líquido de US$ 1,6 bilhão, ficando US$ 5,4 bilhões abaixo do 4T18 devido, principalmente, às provisões relacionadas à ruptura da barragem de Brumadinho e aos menores volumes de vendas. Excluindo o impacto financeiro da ruptura da barragem de Brumadinho (US$ 4,954 bilhões) do EBITDA da Vale, o lucro líquido pró-forma seria de US$ 3,312 bilhões em 1T19, sendo US$ 0,5 bilhão abaixo do 4T18, devido, principalmente, a menores volumes de venda.

vale-resultado  

– Endividamento:

A dívida bruta totalizou US$ 17,051 bilhões em 31 de março de 2019, aumentando em US$ 1,585 bilhão em relação a 31 de dezembro de 2018, principalmente como resultado da adição de US$ 1,842 bilhão de novas linhas de crédito captadas para cumprir com a obrigação de manter fundos bloqueados relacionados à ruptura da barragem de Brumadinho. A dívida líquida aumentou US$ 2,381 bilhões em comparação com o 4T18, totalizando US$ 12,031 bilhões, principalmente como resultado de fundos bloqueados no valor de US$ 3,490 bilhões, que foram separados da posição de caixa disponível, e do mencionado aumento na dívida bruta. A alavancagem, medida pela relação da dívida líquida/LTM EBITDA ajustado, aumentou para 1,0x, e além disso, a Vale reconheceu o passivo de arrendamento no valor de US$ 1,746 bilhãode acordo com o IFRS 16.

vale-resultado  

 

– IFRS 16 – Alterações nos padrões contábeis sobre arrendamento:

A Vale adotou o IFRS 16 a partir de 1º de janeiro de 2019, o que resultou em mudanças na política contábil aplicada para os seguintes contratos de arrendamento:

  • Terminais marítimos de Ponta da Madeira e Itaguaí, no Brasil, e um terminal marítimo em Omã, principalmente para movimentação de minério de ferro e pelotas;
  • Contratos de afretamento na modalidade time-charter com armadores de embarcações de minério;
  • Contratos de longo prazo para a exploração e processamento de minério de ferro com joint ventures, como, por exemplo, os contratos de arrendamento de usinas de pelotização no Brasil;
  • Planta de oxigênio para suportar a operação de níquel no Canadá;
  • Contratos de arrendamento de propriedades para instalações operacionais e escritórios.

  O passivo de arrendamento é apresentado no balanço patrimonial na rubrica “Arrendamentos” e totalizou US$ 1,746 bilhão (US$ 219 milhões do Passivo Circulante e US$ 1,527 bilhão do Passivo Não Circulante) em 31 de março de 2019.

vale-resultado  

Conclusão sobre os resultados de vale do 1T19:

O resultado ruim de Vale já era esperado. Nós antecipamos alguns desses impactos no dia útil seguinte a tragédia de Brumadinho outro artigo aberto aqui no site, clique aqui. Falamos do aumento do preço do minério de ferro, e também citamos que o impacto sentido deveria ser de R$ 20 bilhões, além de uma redução de margem devido a maiores paradas, menor diluição de custos fixos, e maiores custos logísticos. Vimos no resumo acima que o preço médio do minério de Ferro subiu de US$ 71 por tonelada para US$ 82 por tonelada. Esta alta do preço serviu como um colchão de amortecimento para Vale. Vimos uma redução grande da Produção e das Vendas, mas a Receita Líquida reduziu apenas 5%.  

 

Influenciadores

As duas grandes novidades do resultado de Vale foram: As maiores chuvas no Norte do país que impactaram mais ainda a sazonalidade já existente no primeiro trimestre. Mas esta questão das chuvas é algo extremamente pontual e que não deve se repetir no segundo trimestre. E a segunda novidade foi que o impacto na produção e nas Vendas de Pelotas (que possui valor agregado maior) foi mínimo (4% e 6% respectivamente). E com o aumento do preço do minério tivemos inclusive uma alta da Receita Líquida da Vale.  

 

Em  2018:

As projeções da Vale no ano passado era de ultrapassar a produção de 400 milhões de toneladas de minério de ferro ainda em 2019. Essa projeção deve passar para 2021 ou 2022, mas no preço atual o negócio da Vale é extremamente saudável. Com relação ao endividamento, que foi um problema recente da história da Vale e de outras metalúrgicas, este está controlado, apesar da tragédia de Brumadinho. Houve uma pequena alta na dívida Bruta e na dívida Líquida que não me preocupa, porque apesar de tudo a Geração de Caixa operacional foi de US$ 2,2 bilhões igual a do 1T2018. A geração de Caixa Livre ficou negativa pelos Bloqueios bancários e depósitos judiciais no total de US$ 3,5 bilhões.  

Previsão 2019

Muito provavelmente no 2T2019, os resultados da Vale já voltarão ao normal, com uma produção e vendas menores, mas com preço maior do minério de ferro. Para saber a minha recomendação e o preço justo de Vale, você que é assinante da Area de Membros, basta ir na parte de Resultados de Empresas – 1T2019. Você que ainda não sabe o que se trata veja mais nos próximos parágrafos.  

 

Está com dificuldade de achar oportunidades?

Quer receber recomendações sobre as melhores ações da Bolsa? Relatórios e Vídeos semanais de análise de empresas. Clique aqui e vire um Membro Gold (pagando menos de R$1,25 por dia!)

Veja a tabela abaixo com todos os benefícios:

Membro Bronze Carteira Z Membro Gold
Carteira PEG  Não Sim Sim
Carteira Barganhas Sim Sim Sim
Carteira P/L abaixo da Média Sim Sim Sim
Carteira Dividendos Não Sim Sim
Carteira Graham Não Sim Sim
Carteira de Greenblatt Não Sim Sim
Carteira P/VP x ROE Não Sim Sim
Carteira Z (fundos de Investimentos) Não Sim Sim
Carteira Dica de Hoje Não Não Sim
Dados de empresa Sim Sim Sim
Relatórios Dica de Hoje (ações + Fiis) Não Não Sim
Resultados de Empresas com cálculo de preço justo Não Não Sim
Panorama de Ações Sim Sim Sim
Radar de FIIs Não Não Sim
Vídeos Dica de Hoje Não Não Sim
Hangouts Não Não Sim
Descontos em Cursos Não Não Sim
Clique Gratuito R$ 239,90 anual R$ 447,00 anual

*As carteiras Membro Bronze podem ser modificadas sem aviso prévio, a qualquer momento. Confira os resultados de Porto Seguro do 4T18.

Para informações sobre o Curso de opções Dica de Hoje, clique aqui.

Abraços e Bons Investimentos!

Daniel Nigri (analista CNPI)

Com a ajuda de Leo Bittencourt

 

Disclosure

Elaborado pelo analista independente Daniel Isaac Nigri CNPI 1810, este relatório é de uso exclusivo de seu destinatário.

Este estudo é baseado em informações disponíveis ao público nos próprios sites de RI das empresas analisadas ou comparadas, consideradas confiáveis na data de publicação.

As opiniões, aqui expressas, estão sujeitas a mudanças, por se tratarem de estimativas baseadas em fundamentos e projeções de futuro que podem ou não ocorrer.

Este relatório não representa oferta de negociação de valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros.

As análises, informações e estratégias de investimento têm como único propósito fomentar o debate entre o analista responsável e os destinatários.

Sugestão aos destinatários

Os destinatários devem, portanto, desenvolver as próprias análises e estratégias. (Caminhar com as próprias pernas e ter bom senso)

Informações adicionais sobre quaisquer sociedades, valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros aqui abordados podem ser obtidas mediante solicitação, e serão arquivadas por 5 anos conforme determinação da CVM.

O analista responsável pela elaboração deste relatório declara, nos termos do artigo 17º da Instrução CVM nº 483/10, que as recomendações do relatório de análise refletem única e exclusivamente a sua opinião pessoal e foram elaboradas de forma independente.

O analista Daniel Isaac Nigri CNPI é o responsável principal pelo conteúdo do relatório e pelo cumprimento do disposto no Art. 16, parágrafo único da Instrução ICVM 483/10.