Resultados de Vale do 1T19

0
4515
vale-resultado

Resultados de Vale do 1T19

Vale (código Bovespa: VALE3)

RESUMÃO – Resultados 1T19:

(Data de divulgação: 09/Maio/2019)

(Dados retirados do site de RI)

 

Estratégia da Empresa:

Após 3 meses da tragédia de Brumadinho(MG), a Vale continua completamente focada nos esforços para garantir a segurança das pessoas e a integridade de seus ativos, atendendo às necessidades dos afetados e mitigando os danos. A Vale acredita que este enfoque nas pessoas e na segurança impulsionará sua excelência operacional e fortalecerá sua licença para operar, garantindo resultados sustentáveis através do fornecimento de portfólio de produtos de alta qualidade.  

 Composição Acionária:

vale-resultado

Destaques Operacionais e Financeiros:

 

– Produção:

No 1T19 a produção de finos de minério de ferro da Vale totalizou 72,8Mt, ficando 28% e 11% menor do que no 4T18 e 1T18, respectivamente, principalmente em função dos impactos decorrentes da ruptura da barragem de Brumadinho e da sazonalidade climática mais forte do que o normal. É importante destacarmos que o Sistema Norte, composto por Carajás e S11D, produziu 41,0 Mt no 1T19, ficando 11,9 Mt abaixo do 4T18 e em linha com o 1T18, já que chuvas anormais no porto de Ponta da Madeira (Maranhão), em março, aumentaram o efeito da sazonalidade climática. No entanto, isso foi parcialmente compensado pelo bem-sucedido ramp-up do S11D. vale-resultado

 

A produção de pelotas totalizou 12,2 Mt no 1T19, ficando 23% e 5% menor do que no 4T18 e 1T18, respectivamente, devido principalmente às paradas nas usinas de pelotização, após a ruptura da barragem de Brumadinho, bem como às manutenções programadas em Tubarão e Omã. vale-resultado  

 – Vendas:

O volume de vendas de finos e pelotas de minério de ferro atingiu de 67,7 Mt no 1T19, ficando 30% e 20% menor do que no 4T18 e 1T18, respectivamente. A redução em relação ao 4T18 foi decorrente dos seguintes efeitos: (a) sazonalidade usual (14 Mt); (b) impacto de paradas de produção após a ruptura da barragem de Brumadinho (7 Mt); (c) novos procedimentos de gerenciamento de estoque nos portos chineses, que impactaram o tempo de reconhecimento da receita de vendas (6 Mt); (d) chuvas anormais impactando os embarques do porto de Ponta da Madeira, no Sistema Norte (5 Mt); os quais foram parcialmente compensados pela utilização de estoques nos portos chineses no 1T19 (3 Mt).  

A participação dos produtos Premium nas vendas totais foi de 81% no 1T19, ficando praticamente em linha com o 4T18. Os prêmios de qualidade de finos de minério de ferro e pelotas alcançaram US$10,7/t3 no 1T19 contra US$ 11,5/t no 4T18, principalmente devido aos menores prêmios de mercado para os finos de Carajás, que foram parcialmente compensados pelo impacto positivo dos novos termos para os contratos de vendas de pelotas.

vale-resultado  

 

– Receita Operacional Líquida:

A receita operacional líquida totalizou US$ 6,3 bilhões no 1T19, o que representa uma redução de -17% em comparação com o 4T18 e redução de -2,8% em comparação com 1T18. Com destaque positivo para “Pelotas” que teve um aumento de receita em dólar de 5,6% em relação a1T18. vale-resultado

 

Quer ter acesso a nossas carteiras de Ações?

Insira o seu endereço de email abaixo para receber gratuitamente e conheça as carteiras da Área de Membros!

 

 

– EBITDA Ajustado:

Os impactos financeiros da ruptura da barragem de Brumadinho levaram ao primeiro EBITDA negativo da Vale em sua história, negativo de US$ 652 milhões, no 1T19. O impacto financeiro do desastre no EBITDA do 1T19 foi de US$ 4,954 bilhões devido a:

  • provisões para os programas e acordos de compensação / remediação (US$ 2,423 bilhões);
  • provisão para descomissionamento ou descaracterização de barragens de rejeito (US$ 1,855 bilhão);
  • despesas incorridas diretamente relacionadas a Brumadinho (US$ 104 milhões);
  • volumes perdidos (US$ 290 milhões);
  • despesas de parada (US$ 160 milhões);
  • outros (US$ 122 milhões).

vale-resultado

 

O EBITDA Ajustado também foi impactado: pela forte estação chuvosa de verão de 2019, que afetou as operações no Terminal Marítimo de Ponta da Madeira(Maranhão), no Sistema Norte, e aumentou o impacto da usual sazonalidade climática (US$ 766 milhões); pela mudança no gerenciamento de estoques de minério de ferro nos portos chineses, o que causou um efeito pontual no momento do reconhecimento da receita (US$ 249 milhões). Esses efeitos negativos foram parcialmente compensados pelos maiores preços realizados (US$ 951 milhões). vale-resultado vale-resultado  

– Lucro Líquido:

No 1T19, a Vale registrou um prejuízo líquido de US$ 1,6 bilhão, ficando US$ 5,4 bilhões abaixo do 4T18 devido, principalmente, às provisões relacionadas à ruptura da barragem de Brumadinho e aos menores volumes de vendas. Excluindo o impacto financeiro da ruptura da barragem de Brumadinho (US$ 4,954 bilhões) do EBITDA da Vale, o lucro líquido pró-forma seria de US$ 3,312 bilhões em 1T19, sendo US$ 0,5 bilhão abaixo do 4T18, devido, principalmente, a menores volumes de venda.

vale-resultado  

– Endividamento:

A dívida bruta totalizou US$ 17,051 bilhões em 31 de março de 2019, aumentando em US$ 1,585 bilhão em relação a 31 de dezembro de 2018, principalmente como resultado da adição de US$ 1,842 bilhão de novas linhas de crédito captadas para cumprir com a obrigação de manter fundos bloqueados relacionados à ruptura da barragem de Brumadinho. A dívida líquida aumentou US$ 2,381 bilhões em comparação com o 4T18, totalizando US$ 12,031 bilhões, principalmente como resultado de fundos bloqueados no valor de US$ 3,490 bilhões, que foram separados da posição de caixa disponível, e do mencionado aumento na dívida bruta. A alavancagem, medida pela relação da dívida líquida/LTM EBITDA ajustado, aumentou para 1,0x, e além disso, a Vale reconheceu o passivo de arrendamento no valor de US$ 1,746 bilhãode acordo com o IFRS 16.

vale-resultado  

 

– IFRS 16 – Alterações nos padrões contábeis sobre arrendamento:

A Vale adotou o IFRS 16 a partir de 1º de janeiro de 2019, o que resultou em mudanças na política contábil aplicada para os seguintes contratos de arrendamento:

  • Terminais marítimos de Ponta da Madeira e Itaguaí, no Brasil, e um terminal marítimo em Omã, principalmente para movimentação de minério de ferro e pelotas;
  • Contratos de afretamento na modalidade time-charter com armadores de embarcações de minério;
  • Contratos de longo prazo para a exploração e processamento de minério de ferro com joint ventures, como, por exemplo, os contratos de arrendamento de usinas de pelotização no Brasil;
  • Planta de oxigênio para suportar a operação de níquel no Canadá;
  • Contratos de arrendamento de propriedades para instalações operacionais e escritórios.

  O passivo de arrendamento é apresentado no balanço patrimonial na rubrica “Arrendamentos” e totalizou US$ 1,746 bilhão (US$ 219 milhões do Passivo Circulante e US$ 1,527 bilhão do Passivo Não Circulante) em 31 de março de 2019.

vale-resultado  

Conclusão sobre os resultados de vale do 1T19:

O resultado ruim de Vale já era esperado. Nós antecipamos alguns desses impactos no dia útil seguinte a tragédia de Brumadinho outro artigo aberto aqui no site, clique aqui. Falamos do aumento do preço do minério de ferro, e também citamos que o impacto sentido deveria ser de R$ 20 bilhões, além de uma redução de margem devido a maiores paradas, menor diluição de custos fixos, e maiores custos logísticos. Vimos no resumo acima que o preço médio do minério de Ferro subiu de US$ 71 por tonelada para US$ 82 por tonelada. Esta alta do preço serviu como um colchão de amortecimento para Vale. Vimos uma redução grande da Produção e das Vendas, mas a Receita Líquida reduziu apenas 5%.  

 

Influenciadores

As duas grandes novidades do resultado de Vale foram: As maiores chuvas no Norte do país que impactaram mais ainda a sazonalidade já existente no primeiro trimestre. Mas esta questão das chuvas é algo extremamente pontual e que não deve se repetir no segundo trimestre. E a segunda novidade foi que o impacto na produção e nas Vendas de Pelotas (que possui valor agregado maior) foi mínimo (4% e 6% respectivamente). E com o aumento do preço do minério tivemos inclusive uma alta da Receita Líquida da Vale.  

 

Em  2018:

As projeções da Vale no ano passado era de ultrapassar a produção de 400 milhões de toneladas de minério de ferro ainda em 2019. Essa projeção deve passar para 2021 ou 2022, mas no preço atual o negócio da Vale é extremamente saudável. Com relação ao endividamento, que foi um problema recente da história da Vale e de outras metalúrgicas, este está controlado, apesar da tragédia de Brumadinho. Houve uma pequena alta na dívida Bruta e na dívida Líquida que não me preocupa, porque apesar de tudo a Geração de Caixa operacional foi de US$ 2,2 bilhões igual a do 1T2018. A geração de Caixa Livre ficou negativa pelos Bloqueios bancários e depósitos judiciais no total de US$ 3,5 bilhões.  

Previsão 2019

Muito provavelmente no 2T2019, os resultados da Vale já voltarão ao normal, com uma produção e vendas menores, mas com preço maior do minério de ferro. Para saber a minha recomendação e o preço justo de Vale, você que é assinante da Area de Membros, basta ir na parte de Resultados de Empresas – 1T2019. Você que ainda não sabe o que se trata veja mais nos próximos parágrafos.  

 

Está com dificuldade de achar oportunidades?

Quer receber recomendações sobre as melhores ações da Bolsa? Relatórios e Vídeos semanais de análise de empresas. Clique aqui e vire um Membro Gold (pagando menos de R$1,25 por dia!)

Veja a tabela abaixo com todos os benefícios:

Membro BronzeCarteira ZMembro Gold
Carteira PEG NãoSimSim
Carteira BarganhasSimSimSim
Carteira P/L abaixo da MédiaSimSimSim
Carteira DividendosNãoSimSim
Carteira GrahamNãoSimSim
Carteira de GreenblattNãoSimSim
Carteira P/VP x ROENãoSimSim
Carteira Z (fundos de Investimentos)NãoSimSim
Carteira Dica de HojeNãoNãoSim
Dados de empresaSimSimSim
Relatórios Dica de Hoje (ações + Fiis)NãoNãoSim
Resultados de Empresas com cálculo de preço justoNãoNãoSim
Panorama de AçõesSimSimSim
Radar de FIIsNãoNãoSim
Vídeos Dica de HojeNãoNãoSim
HangoutsNãoNãoSim
Descontos em CursosNãoNãoSim
Clique GratuitoR$ 239,90 anualR$ 447,00 anual

*As carteiras Membro Bronze podem ser modificadas sem aviso prévio, a qualquer momento. Confira os resultados de Porto Seguro do 4T18.

Para informações sobre o Curso de opções Dica de Hoje, clique aqui.

Abraços e Bons Investimentos!

Daniel Nigri (analista CNPI)

Com a ajuda de Leo Bittencourt

 

Disclosure

Elaborado pelo analista independente Daniel Isaac Nigri CNPI 1810, este relatório é de uso exclusivo de seu destinatário.

Este estudo é baseado em informações disponíveis ao público nos próprios sites de RI das empresas analisadas ou comparadas, consideradas confiáveis na data de publicação.

As opiniões, aqui expressas, estão sujeitas a mudanças, por se tratarem de estimativas baseadas em fundamentos e projeções de futuro que podem ou não ocorrer.

Este relatório não representa oferta de negociação de valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros.

As análises, informações e estratégias de investimento têm como único propósito fomentar o debate entre o analista responsável e os destinatários.

Sugestão aos destinatários

Os destinatários devem, portanto, desenvolver as próprias análises e estratégias. (Caminhar com as próprias pernas e ter bom senso)

Informações adicionais sobre quaisquer sociedades, valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros aqui abordados podem ser obtidas mediante solicitação, e serão arquivadas por 5 anos conforme determinação da CVM.

O analista responsável pela elaboração deste relatório declara, nos termos do artigo 17º da Instrução CVM nº 483/10, que as recomendações do relatório de análise refletem única e exclusivamente a sua opinião pessoal e foram elaboradas de forma independente.

O analista Daniel Isaac Nigri CNPI é o responsável principal pelo conteúdo do relatório e pelo cumprimento do disposto no Art. 16, parágrafo único da Instrução ICVM 483/10.