TESOURO DIRETO X DEBÊNTURES

10
196
tesouro-direto-x-debentures-square

tesouro-direto-x-debentures-capa

Tesouro Direto x Debêntures

Eu tenho recebido alguns e-mails de pessoas que vem me perguntando se com a queda do CDI, não vale a pena investir em debêntures, CDBs, LCAs, LCIs, ou qualquer outra espécie de Renda Fixa. Normalmente as pessoas olhando apenas a rentabilidade que aquelas debêntures possam gerar acabam observando quanto elas podem pagar a mais que o tesouro direto e pensam em investir nelas.

Esta semana recebi um email de uma das apoiadoras que estava interessada em sacar seu dinheiro do Tesouro IPCA 2026 e investir nesta debênture da Supervia que aparece na tabela abaixo que está rendendo IPCA + 7,2% ao ano com vencimento parecido em 15/11/2026. E me perguntou se era uma boa.

 

tesouro-direto-x-debentures-01

 

Como vocês sabem eu abri um grupo novo de apoiadores de Whatsapp com direito a participar de um grupo comigo e com direito a participar de um hangout por mês. O próximo será no dia 27/06/2017 as 21:00. Mais informações aqui.

 

Antes de prosseguir, eu preciso fazer algumas considerações: As debêntures não possuem garantia do Fundo Garantidor de Crédito (FGC), portanto você passa a ter o Risco do Emissor, neste caso, o risco da Supervia. Essa debênture é uma debênture incentivada, portanto possui isenção de Imposto de Renda, mas ela é apenas para investidores qualificados.

Sempre que eu analiso debênture ou qualquer ativo de Renda Fixa eu me preocupo com três fatores principais:

  • Prazo de vencimento da debênture
  • Risco de não recebimento (incluindo aí juros e amortizações intermediários)
  • Spread (diferença) entre a taxa de pagamento da debênture e do Tesouro Nacional.

 

Vamos analisar esta debênture de Supervia por exemplo

O Prazo de vencimento da debênture é importante, porque quanto mais distante o prazo, mais difícil fazermos uma análise sobre qual será a liquidez e solvência da empresa no futuro. Dificilmente algum analista poderá prever com exatidão as condições de Supervia em 2026.

Para se livrar desse problema a empresa colocou juros semestrais a partir de 15/05/2015 e amortização semestral a partir de 15/11/2018.

Qual a diferença entre juros e amortização?

Imagine que você contratou um empréstimo no banco de R$10000,00 com uma taxa de 3% ao mês. E que você irá quitar o empréstimo em 5 meses com amortizações constantes de R$ 2000,00 cada.

Ao fim do primeiro mês, o seu saldo devedor é R$ 10000,00 + 3% (R$300,00), o que totaliza R$ 10300,00. Portanto o seu pagamento no primeiro mês será: parcela de amortização R$ 2000,00 (o que efetivamente você está pagando do empréstimo), além de R$ 300,00 de juros (custo por ter pego o dinheiro emprestado). Totalizando R$ 2300,00.

No inicio do segundo mês seu saldo devedor será de R$ 8000,00. Fazendo contas semelhantes teremos juros decrescentes de R$ 240,00, R$ 180,00, R$ 120,00 e R$ 60,00 nos meses subsequentes e parcelas de R$ 2000,00 acrescidas desses juros.

Voltando para a debênture.

Veja que essa amortização reduz o seu risco na debênture, afinal se a empresa falir em 2023, por exemplo, você já recebeu várias parcelas de amortização além dos juros. Até por isso a empresa consegue emitir uma debênture tão longa.

O segundo item que eu sempre olho é o risco de não recebimento, e este nós temos que analisar com mais calma.

A melhor forma de começarmos a análise é observando o Rating da Empresa e lá vemos um A+. O que em minha opinião é um risco médio, segundo a Fitch, a tabela abaixo mostra as primeiras graduações de Rating das agências de Risco.

 

tesouro-direto-x-debentures-02

 

Apenas por essa tabela, o investidor pensará que vale a pena correr o risco, mas então fui ao site da Supervia, e peguei suas informações trimestrais para analisar. Vejam que a partir de agora, a análise irá se assemelhar muito com a análise de ações. Eu irei calcular indicadores de dívida da empresa, e sua possibilidade de geração de caixa e pagamento de juros.

Antes disso, vale a pena ver quem é o controlador da empresa e chegamos a este nome retirado do site acima.

 

tesouro-direto-x-debentures-03

 

Hoje, eu não posso garantir nada, nem quero julgar a empresa antecipadamente. Minha única preocupação é com o seu dinheiro que me lê, e com o dinheiro da pessoa que me escreveu o e-mail. A chance de ter problemas da Odebrecht na lava-jato são grandes e aí seria o seu dinheiro que poderia estar com problemas.

Não existe nenhum problema você entrar em um investimento de risco sabendo os riscos que você está correndo.

Agora vamos a análise mais pragmática e financeira, toda ela retirada do site de RI da empresa.  Desculpa não colar as fotos como eu faço normalmente, mas ficariam ilegíveis.

Primeira coisa que me chama a atenção no Balanço Patrimonial, é um Caixa baixíssimo. Apenas 3,296 milhões de reais. O total do ativo circulante é de 237 milhões de reais contra R$ 263 milhões de passivo circulante. Isto é, a empresa possui mais obrigações de curto prazo que ativos para honrar essas obrigações. A necessidade de tomar empréstimos para capital de giro que costuma ser um crédito mais caro é muito grande. Ma cabe ressaltar que essa diferença reduziu significativamente de 2015 para 2016.

A dívida bruta total da empresa hoje é de R$ 1,385 bilhão de reais sendo apenas R$ 67 milhões de reais de curto prazo e o restante de longo prazo. O que mostra que a necessidade de cobertura de juros no futuro será maior que hoje em dia. Em contra-partida, o serviço da empresa é um monopólio, que tem uma receita que é regulada e aumenta de acordo com o que o órgão determina. Assim, ela não tem liberdade para estipular a tarifa que daria maior lucratividade a seu negócio. Veja a tabela abaixo do cronograma do vencimento das dívidas.

tesouro-direto-x-debentures-04

 

E aqui nós encontramos a debênture em questão na próxima tabela. Vejam que quando ela foi emitida ela pagava IPCA + 7,50% ao ano. Portanto, quem comprar hoje no IPCA + 7,20% estará pagando um ágio.

tesouro-direto-x-debentures-05

 

 

  Alguns indicadores importantes da empresa são:

Dívida Bruta / Patrimônio Líquido = 1384852 / 174547 = 793,39%

A dívida representa quase 8 vezes o patrimônio líquido da empresa. Que inclusive neste patrimônio líquido tem prejuízos acumulados de R$ 184 milhões de reais. Já começa a ficar mais claro porque ela paga tão mais que o Tesouro Direto!! Mas cabe ressaltar que a empresa gerou lucro líquido no exercício de 2016. Talvez seja esse o motivo que a taxa caiu de 7,5% + IPCA para 7,2% + IPCA e o rating tenha ido pra A+.

Dívida Líquida / Ebit = 1381556 / 157162 = 8,79.

Normalmente seria um valor muito alto para a empresa. Quando passa de 3,5 x eu já na gosto. Mas no caso dessa empresa vemos que ela conseguiu alongar bem a dívida dela e que a previsão é de gastar em torno de 99,8 milhões de reais por ano. Portanto, essa geração de lucro operacional é suficiente para quitar os valores, pelo menos até 2022, caso não seja necessária nenhuma nova captação para novos investimentos.

Como vocês podem ver, existem pontos bons que indicariam compra, e pontos ruins que indicariam pra não comprar de forma alguma. O mais importante é entrar conhecendo os riscos e sabendo que as melhoras nos resultados da empresa já foram incorporadas na taxa atual da debênture.

       O terceiro ponto que eu citei acima é o spread em relação ao tesouro direto.

Eu falo isso, porque em escala Nacional, o Tesouro é o Rating AAA. Ele é a autoridade monetária que tem a menor chance de quebrar no país. Então, o Tesouro, deve sempre pagar menos que as empresas e os bancos.

Hoje, o título IPCA + 2026 com juros semestrais que se assemelha a debênture está pagando IPCA + 5,53 de acordo com o site oficial, clique aqui.

Imaginando um IPCA no período todo de 4,50%, teríamos um ganho anual de 1,0553 x 1,045 = 1,1028 ou 10,28% ao ano. E como a debênture é incentivada e livre de Imposto de Renda e o Tesouro Direto paga IR vamos abater a alíquota de 15%, mesmo sabendo que os primeiros cupons de juros pagarão taxas maiores. 10,28% – 15% = 8,738%.

A debênture da Supervia, pagaria hoje 7,2% + IPCA = 1,072 x 1,045 = 12,02%. Ou seja, se tudo der certo, e o valor for pago a debênture pagará 12,02% contra 8,738% líquido de Imposto de Renda do Tesouro.

A resposta final vai do apetite de risco de cada um. Você correria o risco Odebrecht + dívidas altas por mais 9 anos, pra aumentar sua aposentadoria em mais 3% ao ano? Se tudo correr bem, certamente fará diferença no futuro. Poste nos comentários a sua opinião.

Como vocês viram, é possível investir em debêntures, mas essas que pagam mais, normalmente têm problemas atrelados. Mesmo com ratings, que em tese são altos e bons. Por isso, eu sempre recomendo, para a parcela de Renda Fixa, alocar grande parte na segurança do Tesouro Direto. E para isso, eu recomendo esses cursos: Carteira Rica, e Tesouro Direto para Principiantes.

Abraços e até a próxima.

Bons Negócios

 

Daniel Nigri     Analista CNPI

10 COMENTÁRIOS

  1. Na minha humilde opinião não vale a pena …o risco/retorno é péssimo. 3% a mais com o risco de ficar a ver navios? Melhor ficar com o TD e colocar uma percentagem do patrimônio em RV para tentar um ganho maior.

    • 3% a mais é só o dobro de rendimentos, descontado a inflação, de quem pega um IPCA+ 6% por exemplo. Uma parte de investimentos em RV não garante ganho maior; Sem conhecimento, lhe garante uma perda maior. Mas entendo sua posição, se o produto não inspira confiança, não deve investir baseado somente em rentabilidade, tem muita empresa “mal das pernas”. O mesmo vale para ações.

  2. Passado de mulher, cozinha de restaurante e análise de debêntures que pagam acima de 7% + IPCA são coisas que se você olhar, não dá coragem de investir rsrsr. Eu aceito pagar esse risco pois retorno alto no longo prazo faz muita diferença, mas fixo em 10% da carteira o total investido em debêntures. Como vc falou, a amortização e pagamento de juros garantem, na pior das hipóteses, uma amenização dos prejuízos. Na melhor da hipóteses, você supera a média de retorno dos investidores médios.

  3. Na minha opinião TD, além de vc ficar com dinheiro na liquidez diária que em caso de emergência ou em uma melhora no juros e baixa do % do título ele já vai render muito mais do que qualquer debênture
    .e tem a possibilidade de vc sair com lucro e replicar aproveitando oportunidades.. como do dia 18 maio…

    • tesouro direto quase nunca rende mais do que qualquer debenture. e nunca rende muito mais. sobre a liquidez diaria, vc esta certa

      • acho q vc desconhece im pouco o TD comprei em maio td 2045 ipca com taxa 5.98% em menos de 60 dias ja me rendia 30% pois comprei com essa taxa e ele caiu a tx para abaixo de 5.10

  4. Daniel, o que devo lhe falar primeiramente é obrigado por compartilhar seus conhecimentos. Em segundo lugar, seu posicionamento está super correto em apresentar os fatos que julga relevante e cabe a cada investidor a propria tomada de decisão.

    • Obrigado. As consultorias já me ensinaram que cada investidor tem uma cabeça. Não cabe a mim impôr a todos a minha estratégia, mas sim fazer o investidor pensar.

  5. Gostaria, se possível, de uma análise detalhada como essa, relacionada à TCPA31, que, por coincidência, se encontra no primeiro print da postagem do Daniel.. visto que não tenho conhecimento para elaborar tal análise. Estou realizando a compra de 2 unidades do papel supracitado por mês, desde Junho/2017, pois me foi dito que estaria rendendo mais que a maioria dos títulos do TD. Agradeço desde já!

Comments are closed.