CVC: Por que cai tanto? Há motivos pra esse pânico todo?

0
218

CVC: Por que cai tanto? Há motivos pra esse pânico todo?

Introdução

Apesar de conhecer a CVC e acompanhar bem o case, resolvi ir ao site dela pra ver como ela própria se definia e ser mais preciso na análise. Temos aqui então: “A CVC faz tudo por uma boa viagem. Por isso trabalha para transformar essa experiência na melhor conquista de sua vida, através de novas tendências e ampla rede de produtos e serviços turísticos. É essa forma de pensar que estabelece a CVC como a maior operadora de turismo da América Latina.”

Pontuado isso, vamos aos destaques dos resultados antigos (do 3T19) da companhia:

No 3T19 a CVC reportou uma queda de 9,7% do seu lucro líquido em relação ao mesmo período de 2018.

Devido ao encerramento das operações da Avianca, a CVC teve um custo de R$ 45,4 milhões com despesas adicionais, além de provisões relativas a processos cíveis.

Existe a possibilidade de gastos ainda adicionais para esse último trimestre de 2019, de cerca de R$ 30 milhões a R$ 40 milhões, devido também ao problema da Avianca.

Devido a pouca oferta de vôos em outubro, por causa da saída da Avianca, os preços das passagens subiram, efeito já reduzido no momento, visto que a situação está mais estabilizada, assim como os preços.

Mesmo com o ambiente político e econômico conturbado na Argentina, a CVC conseguiu reduzir suas margens e melhorar seu operacional no país no terceiro trimestre de 2019, o que leva a crer que esses resultados serão ainda melhores no quarto trimestre, ainda não divulgado.

Uma crítica muito comum à CVC, com razão diga-se de passagem, é em relação ao uso de tecnologias e compras feitas pela internet. A empresa demorou muito pra se modernizar, enquanto outros players (leia-se Decolar) ganharam share e clientes com operações exclusivamente online.

Através do Submarino Viagens e agora com a opção de comprar viagens e hotéis até pelo celular, a CVC corre atrás do tempo perdido e tenta se manter atualizada e conquistar clientes dessas outras empresas.

Apenas no 3T19 foram gastos R$ 27,1 milhões no desenvolvimento tecnológico.

Dito tudo isso, vamos aos fatos recentes…

Em 2019 as ações caíram 27,82%, em 2020 a queda está sendo de 21% e, só nesse mês, de 5,21%. O último que sair apaga a luz?

Fonte: Yahoo Finance

Tenha acesso a um dos nossos relatórios completos da Dica de Hoje Research

Receba Gratuitamente no seu e-mail uma amostra do relatório exclusivo para assinantes da Dica de Hoje Ações

BAIXE O RELATÓRIO DA DICA DE HOJE AÇÕES GRATUITAMENTE

As praias do nordeste já estão praticamente livres do óleo. Em algumas praias ainda foram encontrados vestígios desse óleo, mas com uma frequência muito baixa e a situação é tida como controlada.

A projeção do PIB do Brasil para 2020 aponta um crescimento de 2,40%, enquanto para a taxa desemprego é esperada uma queda de 0,1%.

O dólar, por sua vez, chegou à marca de R$ 4,30 e sua valorização no ano já ultrapassa os 7,70%. Mas ele já está no patamar de R$ 4,00 desde agosto do ano passado. Será mesmo que o dólar está influenciando essa queda toda?

Na última reunião do Copom, realizada no dia 04/02, o comitê decidiu diminuir a taxa Selic de 4,5% para 4,25% ao ano. Somando isso ao fato da projeção da inflação ser de 3,7%, significa que o dinheiro em renda fixa não vai praticamente existir, vão ser direcionadas ou para o consumo ou para a renda variável.

Por último, mas não menos importante, temos o coronavirus. Pra isso, vou me conceder a liberdade de copiar um trecho do início desse post: “É essa forma de pensar que estabelece a CVC como a maior operadora de turismo da América Latina.” Será que a maior operadora de turismo da América Latina, sofrerá impacto nas suas vendas de viagens por causa de um vírus que, por enquanto, atinge praticamente apenas a China?

A CVC divulgará seu resultado no dia 13/03 e você terá acesso ao relatório de análise completo no Dica de Hoje Beginner. Clique aqui para conhecer mais.

Os ventos começam a ficar mais positivos para a CVC, olhando externamente, com menos problemas para os seus destinos. No entanto, a redução das margens que a “batalha tecnológica” deve trazer também é algo mais ou menos certo. Portanto, preferimos aguardar os resultados do 4T2019, para que tenhamos um pouco mais de claridade sobre a intensidade do impacto da concorrência nos resultados da empresa.

Grande abraço,

Raphael Rocha.

Quer ter acesso a nossas carteiras de Ações?

Insira o seu endereço de email abaixo para receber gratuitamente e conheça as carteiras da Área de Membros!