Lucro da Suzano tem queda de 61% no 4T19

0
133

Lucro da Suzano tem queda de 61% no 4T19

A Suzano (SUZB3) uma das maiores produtoras de celulose e integradas de papel do mundo, divulgou nesta quarta, 12, os resultados consolidados do 4º trimestre de 2019 (4T19).

A companhia teve lucro líquido de R$ 1,17 bilhão no 4T19. Esse valor equivale a queda de 61% em relação ao 4T18.

O EBITDA Ajustado do 4T19 foi de R$ 2.465 milhões, queda de 31% em relação ao 4T18. A redução em relação ao 4T18 é explicada, segundo a Suzano, principalmente pelo menor preço líquido da celulose em dólar (-36%).

A Suzano encerrou 2019 com dívida líquida sobre Ebitda ajustado de 5 vezes em reais, alta ante nível de 4,7 vezes ao final de setembro. Em dólares, a alavancagem passou de 4,3 vezes para 4,9 vezes.

Tabela com os detalhes

suzano

Fonte: RI Suzano

Na comparação com o terceiro trimestre, o Ebitda ajustado subiu 3%, por conta de maior volume de celulose vendido (15%) e alta do dólar, que compensaram redução no preço da celulose.

O custo caixa de produção de celulose da Suzano no quarto trimestre, excluindo efeito de parada de manutenção de fábrica, foi de 631 reais por tonelada, redução de 4% ante os três meses imediatamente anteriores e queda de 3% no comparativo anual. No ano, o custo subiu 7%, para 663 reais a tonelada.

A rival Klabin (SA:KLBN11) divulgou na semana passada custo caixa de produção de celulose de 687 reais por tonelada, queda de 2% sobre um ano antes. Na ocasião, a empresa afirmou que espera implementar reajuste menor que os 20 dólares por tonelada anunciados para da celulose vendida na China.

A Suzano deve comentar sobre a situação global de estoques e preços da celulose na quinta-feira, durante encontro com analistas e investidores em São Paulo.

Quer ter acesso a nossas carteiras de Ações?

Insira o seu endereço de email abaixo para receber gratuitamente e conheça as carteiras da Área de Membros!

Estoques

A Suzano acelerou o ritmo de redução dos estoques de celulose no quarto trimestre e retirou cerca de 650 mil toneladas da matéria-prima que tinha em inventário, segundo informações que acompanham as demonstrações financeiras do intervalo. No terceiro trimestre, essa redução havia ficado em 450 mil toneladas.

Ao mesmo tempo, a companhia registrou venda recorde de celulose no trimestre, com 2,92 mil toneladas. O volume é 15% maior do que o registrado no terceiro trimestre e 40% acima do verificado um ano antes, considerando-se a fusão com a Fibria.

Já a produção de celulose da Suzano caiu 12% no quarto trimestre, na comparação anual, para 2,27 milhões de toneladas. Frente ao terceiro trimestre, houve alta de 8%. A Suzano já havia informado ao mercado que a produção de fibra em 2019 seria menor do que a vista em 2018, como parte da estratégia para reduzir estoques, e encerrou 2019 com 8,76 milhões de toneladas produzidas, contra 10,26 milhões de toneladas no ano anterior.

Fontes: Investing e G1

Você conhece os nossos planos de assinaturas?

Veja todas as possibilidades de planos e escolha de acordo com seu perfil

Pagina de Planos de assinatura