7 ferramentas para organizar sua vida financeira

0
59
7 ferramentas para organizar sua vida financeira

7 ferramentas para organizar sua vida financeira

O ano mal começou e as contas para pagar já apareceram. Não que elas já não estivessem previstas, mesmo assim dá aquela sensação ruim de entregar um caminhão de dinheiro de uma vez só.

Se para você o problema é maior do que simplesmente uma sensação ruim, talvez tenha faltado planejamento nas suas finanças.

E isso é algo que vai te perseguir pelo resto do ano e até da vida se você não tomar uma atitude.

Por isso, é importante que você tenha um controle financeiro para ajudar na organização.

Algumas pessoas preferem manter um caderno ou uma planilha onde possam anotar tudo manualmente.

É trabalhoso, mas o resultado é potencialmente maior porque te faz sentir cada gasto na pele.

Mas também há aquelas pessoas que preferem utilizar aplicativos que preenchem tudo automaticamente.

Nesse caso, a vantagem é que fica mais difícil desistir no meio do caminho já que praticamente não dá trabalho.

O que funciona melhor? Aquilo que você consegue fazer. Não adianta ter planilhas super bem-elaboradas e automatizadas se você não analisa de tempos em tempos.

Também não adianta ter uma ferramenta manual que traz mais resultado se você não preenche.

Você precisa escolher um deles e persistir. Caso tenha dificuldade de adaptação, mude, só não pare.

As opções são muitas. Abaixo eu trouxe os quatro aplicativos de orçamento mais bem classificados nas lojas de aplicativos e três opções de planilhas.

 

1) Organizze

Esse aplicativo te permite gerenciar conte corrente, poupança e investimentos na versão gratuita. Você pode adicionar receitas e gastos manualmente.

Já na versão paga, que custa R$ 11,90 por mês ou R$ 80 por ano, é possível definir metas de quanto gastar em cada categoria, receber alertas de todas as contas a pagar e gerenciar mais de uma conta e de um cartão de crédito.

Não é necessário ter conexão com a internet para utilizar o app, que está disponível para Android, iOS e web.

 

2) Minhas Economias

Esse aplicativo é gratuito e está disponível para sistemas Android, iOS e web. Nele, é possível inserir ganhos e gastos de mais de uma conta manualmente, categorizar as transações e analisá-las por meio de gráficos e relatórios.

O app também tem um “gerenciador de sonhos”, ferramenta que possibilita estabelecer objetivos e fazer um planejamento de como chegar lá.

O aplicativo ainda responde dúvidas financeiras dos usuários e conta com um comparador de fundos de investimentos.

 

3) Mobills

Disponível para sistemas Android, iOS e web, o app tem duas versões: uma gratuita e outra premium, que custa R$ 79,90 ao ano ou R$ 14,90 ao mês.

A versão gratuita permite categorizar despesas e receitas de forma manual, inserindo cada gasto e cada ganho, além de criar um planejamento mensal.

Os dados são sincronizados uma vez ao dia e é possível ganhar pontos Multiplus ao usar o app. Já na versão paga, é possível importar dados automaticamente, cadastrar mais de uma conta e criar filtros personalizados.

 

4) Guiabolso

Talvez um dos mais conhecidos e utilizados, o Guiabolso foi o vencedor de alguns prêmios, como o Transformational Business Award, organizado pelo International Finance Corporation em parceria com o Financial Times.

O aplicativo permite sincronizar a conta bancária inserindo a senha eletrônica e analisar, por meio de gráficos, para onde está indo seu dinheiro.

Não é preciso adicionar manualmente as receitas e despesas embora seja possível.

Apesar de pedir a senha eletrônica da conta para visualizar o extrato bancário, o app não vende os dados do usuário para terceiros e nem tem acesso a realizar transações no seu nome.

O aplicativo investiu também em inteligência artificial para se tornar um conselheiro financeiro personalizado.

No entanto, na Google Play, usuários reclamam do excesso de ofertas de serviços financeiros parceiros do app, por isso sua nota ficou abaixo dos demais aplicativos. Disponível para sistemas Android, iOS e web.

Entrando agora nas planilhas, veja abaixo três que estão disponíveis para uso gratuitamente.

 

5) Google Planilhas

Conforme comentei no início do artigo, algumas pessoas preferem as planilhas tradicionais para controlar as finanças em vez de aplicativos.

Porém, o que pouca gente sabe é que o Google Planilhas oferece alguns modelos de planilhas prontas com essa finalidade.

Basta preencher os ganhos e gastos, e a planilha realiza automaticamente as contas e apresenta um balanço do orçamento anual do usuário.

Quem tem uma conta do Google tem acesso à planilha em qualquer lugar já que ela fica salva na nuvem.

 

6) B3

A B3, bolsa de valores brasileira, também disponibiliza uma planilha de Excel para documentar as receitas e despesas, além de investimentos em ações, Tesouro Direto, renda fixa, previdência privada e outras aplicações.

Você insere suas informações divididas por meses e categorias e a tabela calcula o saldo. Pode funcionar bem para você mesmo que você não entenda muito de Excel.

 

7) Idec

O Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec) também disponibiliza uma planilha de orçamento doméstico no Excel para registrar receitas e despesas mês a mês.

A tabela é um pouco mais complexa do que as outras, mas permite, por exemplo, comparar a variação entre os ganhos e gastos reais e os previstos, além de organizar as compras parceladas nos cartões de crédito.

Realmente a oferta é enorme e está disponível para todos os gostos.

Do gratuito ao pago, da planilha ao aplicativo, do manual ao automático. Escolha o que te atender melhor e persista. Te garanto que vai te fazer bem.

Conte-nos se você utiliza alguma dessas ferramentas e o que acha delas.

 

Se você tem lido e curtido meus artigos aqui para o Dica de Hoje, gostaria de te convidar a conhecer o meu canal no YouTube. Lá você encontrará diversos vídeos já gravados sobre Finanças, Investimentos e Mindset, além de três vídeos novos toda semana! Inscreva-se, curta e compartilhe: https://www.youtube.com/lucasmauricioo?sub_confirmation=1

Inscreva-se GRATUITAMENTE na Semana dos Fundos Imobiliários clicando aqui.

Abraços,

Lucas Mauricio